Para cortar os mares

A construção naval está presente na vida de mais de 25 mil Brasileiros, número que cresceu  muito comparado ao ano de 2003 que havia cerca de 7 mil pessoas trabalhando na area  naval. Esse número reflete sobre os grandes estaleiros espalhados pelas áreas litorais sem  considerar os pequenos estaleiros que fabricam embarcações de pesca e para lazer.  

Compartilhe:

Autor: Geliabe de Oliveira de Souza 

Navegantes – SC 

Somática Educar 

Desde a época de Jesus Cristo já haviam embarcações, há evidências arqueológicas do uso  de barcos remontam de há 50 a 60.000 anos na Nova Guiné. 

Existem teólogos que informam grandes possibilidades que a marcenaria e carpintaria de  José pai de Jesus Cristo produzia embarcações naquela época. Com o passar do tempo  tivemos melhorias e aperfeiçoamentos na construção naval, novas tecnologias e maneiras  de produzir embarcações com praticidade, segurança e qualidade. 

A construção naval não só como uma profissão, sim é uma cultura. A atividade de fabricar,  modelar, montar, pintar e produzir uma embarcação vai mais além do que ganhar o  sustento de muitas pessoas. Para exercer a atividade é necessário paciencia, vontade e  gostar muito por ser um processo muito complexo. 

A construção naval está presente na vida de mais de 25 mil Brasileiros, número que cresceu  muito comparado ao ano de 2003 que havia cerca de 7 mil pessoas trabalhando na area  naval. Esse número reflete sobre os grandes estaleiros espalhados pelas áreas litorais sem  considerar os pequenos estaleiros que fabricam embarcações de pesca e para lazer.  

Com a assistencia de muitos brasileiros temos oito FPSOs, aqueles navios plataforma que  armazena, produz e transfere petróleo sem levar em consideração os cascos que estão em  conversão para transformação de navio cargueiro em FPSO. Além de 16 módulos e  integração para 16 FPSOs, 28 sondas de perfuração e 40 navios-tanque.  

Referencias:  

https://petrobras.com.br/fatos-e-dados/numero-de-grandes-estaleiros-no-brasil-passa-de dois-para-dez-em-11-anos.htm 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Constru%C3%A7%C3%A3o_naval

Compartilhe:

A IMPORTANCIA DO FLAPS

Os Flaps são acessórios que se tornaram itens praticamente obrigatórios nos barcos atualmente. O equipamento hoje está presente na maioria das embarcações, pois sua função é crucial para que se possa navegar tranquilo.

Compartilhe:

Autor do Artigo: Thiago Marinho Rouças

e-mail: thiagoroucas01@gmail.com

Somática Educar

Para que seu barco possua o melhor desempenho dentro d’água é necessário que ele esteja estabilizado e, para que isso ocorra, precisa-se acionar os flaps. Os Flaps são acessórios que se tornaram itens praticamente obrigatórios nos barcos atualmente. O equipamento hoje está presente na maioria das embarcações, pois sua função é crucial para que se possa navegar tranquilo. O principal motivo é que com o uso donos e comandante  de barcos de vários tamanhos passaram a perceber a dificuldade de controlar o trim quando mais pessoas (peso) estavam a bordo.

Os flaps, nada mais são do que pranchas de metal instaladas no espelho de popa que funcionam como hidrofólios. Eles atuam diante da massa de água que passa por baixo do casco, dando mais estabilidade ao barco, sendo estes muito utilizados em embarcações acima de 25 pés.

Ele é acionado, geralmente, em três situações mais comuns:

1 – Para ajudar o barco a entrar em planeio e atingir a velocidade ideal de cruzeiro, especialmente quando há muito peso a bordo (e na popa);

2- Para ajudar desequilíbrios laterais oriundos da distribuição de peso a bordo, o que é bastante comum em barcos menores que 40 pés;

3- Para melhorar a navegação em dias de mar ruim, ajustando a proa ou mesmo os bordos do barco contra a ondulação e tornar a navegação mais eficiente e até mais segura.

Quanto ao funcionamento, podem ser encontrados de dois tipos: hidráulicos e eletro-mecânicos. Há vantagens e desvantagens nos dois tipos, mas, em geral, os mais usados em barcos acima de 25 pés são os hidráulicos. Em ambos os casos seu acionamento se dá por chaves no painel de comando, que devem estar bem acessíveis ao piloto. Uma ótima dica de instalação é optar pelo painel indicativo da posição dos flaps, que existem em versão analógica por ponteiros ou LEDs ou digitais. Ajudam muito durante a navegação para que o piloto saiba onde os flaps estão acionados para poder rápida e corretamente ajustá-los novamente conforme a condição de navegação se altere.

Ao contrário do que muitos pensam, os Flaps não fazem o motor se esforçar mais para atingir o planeio, ao contrário, eles rapidamente ajudam o casco a entrar na posição mais adequada de navegação e assim permitir ao motor maior folga, já que o propulsor estará empurrando o barco na posição correta e não sob esforço e ângulo errado.

Para barcos pequenos especialmente com motorização de popa, o uso de hidrofólios acoplados às rabetas é uma excelente opção e que muitas vezes podem evitar a instalação de Flaps, que muitas vezes não são necessários em barcos abaixo de 23 ou 25 pés.

Links de pesquisa:

http://www.manualdeconstrucaodebarcos.com.br/Site/?p=1087

Compartilhe: