ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE “ DRAFT SURVEY “

Disponibilizar ao mercado uma ferramenta padronizada para cálculo de Arqueação de Navios , como ponto de partida para um disciplinamento de desenvolvimento desta atividade.

Compartilhe:

Autor: Vitorio Takeshi Egashira

e-mail: vitorio.egashira@grupogdias.com.br

Curso Arqueação de Navios- Draft Survey

  1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS :

Como atividade final do Curso de “ Draft Survey “ , desenvolvido pela Somática Educar , busquei colocar , em prática , um roteiro para elaboração de cálculo de Arqueação de Navios , visando adequar ao atendimento das necessidades, principalmente  :

  1. DO ARMADOR – proprietário do Navio , para ter em mãos o valor , com o maior grau de acuracidade possível , da arqueação da carga , objeto da arqueação , além de definir uma padronização de registro , que constituirá , no tempo , a base de dados para apuração e consagração dos registros .
  • DA ADMINISTRAÇÃO PORTUÁRIA  – elegendo , num primeiro momento , as operações realizadas na área de influência do Porto da Companhia das Docas do Pará , para a formação de um Banco de Dados sobre as Condições Climáticas ( chuvas , ventos , ondas , marés , correntes ,temperaturas da água , densidades da água  … ) que influenciam nos resultados das medições , além de subsidiar as cobranças das Tarifas Portuárias a serem cobradas nas operações de carga e descarga .
  • DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL – no controle fiscal , nas operações de importação e exportação .
  • DO PROFISSIONAL DA ARQUEAÇÃO – no desenvolvimento e aperfeiçoamento do trabalho de Arqueação , com formação de Base de Dados , para seu aprimoramento .
  1. .ESCOPO DO TRABALHO :

Disponibilizar ao mercado uma ferramenta padronizada para cálculo de Arqueação de Navios , como ponto de partida para um disciplinamento de desenvolvimento desta atividade.

Abrir o acesso de todos os participantes do processo , de forma a terem um conhecimento mais adequado das condições e variáveis , que compõem os Cálculos de Arqueação .

  • ELABORAÇÃO DE UM RELATÓRIO DE “ DRAFT SURVEY “ :

Ao término deste trabalho , deve-se obter um roteiro inicial que balizará a  transposição da teoria à prática , aclarando a todos os usuários do sistema ( embarcador , recebedor , afretador , dono da carga , ou outra pessoa nela interessada ), as premissas adotadas , aprimorando-as ao longo do tempo e da montagem dos acervos de dados .

  • HISTÓRICO DO PORTO ORGANIZADO :

Para o início de atividades , considerando a área de atuação profissional , a mais de 41 anos , no Porto Organizado da Cia das Docas do Pará ( PA ) , elegeremos um modelo de Relatório aplicável à Área de Influência deste Porto Organizado ( Belém , Vila do Conde , Porto da Sotave , Santarém , Santana /AP ) , podendo extender a outras Àreas adjacentes , desenvolvendo para estas novas áreas , Modêlos de Relatório específicos .

A exemplo podemos citar a existência de Armadores/ Empresas , operando tanto da área de influência da CDP- Cia das Docas do Pará ( PA ) , como na CODOMAR – Cia das Docas do Maranhão ( MA ) , que apresentam características próprias e especificas , que , por conveniência , possam adotar a padronização da metodologia de registro e consagração de parâmetros , assim contratar a mesma metodologia de Càlculo de Arqueação para operações em ambas as áreas de influência destes Portos Organizados .Da mesma forma , as próprias Administrações destes Portos Organizados , podem padronizar a Base de Dados de suas operações , para ampliar a base de dados comparativos .

  • ROTEIRO BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE “ DRAFT SURVEY “ :

 a realização dos trabalhos de Cálculo de Arqueação precede da formalização do representante da Empresa Armadora , ao profissional Arqueador ( Requisição e autorização para realização dos trabalhos de arqueação )

5.1.DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA DO NAVIO ;

        Antes do início prático dos trabalhos de arqueação , deve-se realizar uma reunião do representante do Navio / Armador junto ao Arqueador , visando a confirmação dos dados do navio e operação , além da analise preliminar dos documentos disponibilizados .

       Sendo estes :

  1. Documentos  do Navio –
  2. Título de Propriedade Marítima
  3. Certificado de Borda Livre
  4. Tabelas de Arqueação de Tanques
  5. Arranjo Geral do Navio
  6. Plano de Capacidade dos Porões de Carga /Tanques
  7. Tabelas de ulagem ou sondagem dos tanques de lastro , tanques de óleo combustível ; lubrificante , diesel , água , água destilada
  8. Tabelas ou Plano de Curvas Hidrostáticas
  9. Deadweight Operacional ( tripulação e pertences  , água potável , água doce , óleo combustível , óleo diesel , lubrificantes  )
  10. Livro de Óleo de bordo
  11. Diário de Bordo  
  12. Registros sobre Constante do Navios
  • Condições operacionais do Navio –
  • Rota ( origem , escalas , destino final )
  • Possibilidade de sondagem dos tanques
  • Lastros
  • Programação de realização da Arqueação :
  • Data , horário e local
  • Pessoa de contato
  • Pessoa para acompanhamento
  • Apoio logístico ( pessoal e telefone )
  • Análise prévia das condições do local determinado para a realização da  Arqueação ( registro recente de ocorrências que possam comprometer o resultado da medição : densidade da água ; medição de calados ; correntes ; … ) incluindo previsões meteorológicas , para o horário das medições , que possam influenciar , de forma indesejada , nos resultados
  • Comunicação de abortagem e reprogramação de realização do trabalho de Arqueação ( se necessário )

5.2.LEVANTAMENTO DAS CONDIÇÕES OPERACIONAIS ;

      * se estão previstas operações ( manobras , movimentação de cargas a bordo , atracações a contra-bordo ) que possam comprometer os resultados das medições

      *  se haverá operações de navegação na área ( manobras militares ) que possam comprometer os resultados das medições

     * se haverá tráfego intenso no horário das medições( procissão fluvial )

5.3.ÁREA DE FUNDEIO PARA LEVANTAMENTO DE DADOS FÍSICOS ;

      * posição georeferenciada da área de fundeio do navio

      * avaliação de há restrições para a realização das medições na área determinada para o fundeio

5.4.HISTÓRICO DA CONSTANTE  DO NAVIO ;

      * Dá-se o nome bastante impróprio de “ CONSTANTE DO NAVIO “ a um indicador que é variável , sendo , este a somatória dos pesos :

– guarnições e pertences

-passageiros e seus pertences

-material de custeio ( das três seções de bordo , inclusive ; tintas , estopa , etc …. )

-viveres e bebidas

-líquidos nas redes e em certos aparelhos e equipamentos , como por exemplo : água nas caldeiras ; água nos condensadores; óleo e água nas respectivas redes , óleo lubrificante dos cárteres dos motores e das máquinas , etc …

Também outros pesos fazem variar a constante , como a lama que se acumula no fundo dos tanques , a tinta que vai se sobrepondo nas pinturas sucessivas das obras mortas ; os cabos velhos que vão ficando nos paióis , as peças sobressalentes que foram reutilizadas , desembarcadas ou substituidas , mas não foram repostas por novas ; o rancho consumido durante a viagem e ainda não foi feito o abastecimento no porto na hora da arqueação ; e etc …

Embora não faça parte da constante , e sim seja uma alteração do deslocamento leve , temos que considerar como tal uma modificação estrutural , com adição ou subtração de pesos a colocação de qualquer equipamento adicional .

Embora variando ,a  constante tem um valor que  o imediato deve conhecer . E os imediatos que embarcarem vão informando o substituído ao substituto , o valor das constantes , com as alterações observadas .

Como já dissemos , o imediato que já fez várias arqueações da carga deve conhecer o valor da constante . Mas se ele é novo no navio e nada lhe informaram , ou se desconfia do valor , deve proceder para determinar o valor , com o navio sem carga procedendo a um “ draft survey “ determinando o deslocamento real do navio

Chama-se consumíveis , numa arqueação de carga , àqueles materiais cujos pesos variam bastante e podem ser bem determinados :

  • Óleo combustível
  • Óleo diesel
  • Óleo  lubrificante
  • Água de lastro
  • Água doce
  • Água destilada

Como se vê todos são líquidos e ficam armazenados em tanques . O estaleiro construtor do navio fornece tabelas de sondagens ou de ulagens com as respectivas correções para o trim e para a banda , para esses tanques .

Aqui um aviso inicial , alguns navios não possuem tabelas de sondagens com correções para o trim para todos os tanques . Os tanques cujas tabelas não tenham correção para o trim devem ser deixados vazios , quando não for possível determinar tal correção por fórmula , se o tanque for pequeno e o trim for inferior  a 1% do comprimento entre perpendiculares , pode-se considerar , nestes casos , a correção igual a zero

continuação do trabalho

Anexo I do trabalho – Tabela1

Anexo II do trabalho – Tabela2

Compartilhe:

Autor: Somática Educar

Somática Educar - cursos profissionalizantes e de capacitação a distância

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.