Procedimentos de Necropsia

Os corpos a serem submetidos a exame necroscópico deverão ser encaminhados pelo  médico assistente ou pela autoridade policial depois de feito o BO – Boletim de  Ocorrência. 

Compartilhe:

Autor: Douglas Henrique de Souza Lima

Dourados – MS

Somática Educar

Os corpos a serem submetidos a exame necroscópico deverão ser encaminhados pelo  médico assistente ou pela autoridade policial depois de feito o BO – Boletim de  Ocorrência. 

Na chegada do corpo será solicitado ao agente funerário a requisição policial de  necropsia. 

O agente funerário ou necropsista assinará o formulário de Trânsito de Cadáveres na  entrada de corpo, onde constará se porta ou não objeto de valor. O técnico preencherá  os dados da ficha (nome, idade, sexo, horário de entrada, data, nome da funerária e o  nome do agente funerário).

 O técnico se paramentrará com: avental plástico descartável, avental de pano, calça,  bota de plástico, gorro, máscara oculos e luva de borracha. Em caso de morte por  doenças infecto contagiosas, deverá seguir procedimento específico de proteção  biológica para cada caso, sendo que poderá até ser necessário o uso de macacão  encapsulado. 

 O corpo colocado em maca será pesado, medido e obtido a temperatura corporal e  ambiente. Se algum objeto de valor for encontrado no corpo, ele deverá ser devolvido  com um recibo que será assinado pela pessoa que retirar o objeto (agente funerário ou  familiar). 

O corpo é transportado para a sala de autópsia e colocado na mesa. Aos pés do corpo  é colocado uma tábua (no lado em que o médico trabalha) para a realização dos cortes  dos órgãos e obtenção das amostras para exames. 

 O material cirúrgico utilizado pelo médico e pelo técnico constam de: pinça, tesoura  cirúrgica, facas, bisturi, agulha para sutura, fios. Cada técnico tem uma caixa com  estes instrumentos. As facas são afiadas, pelo técnico, em pedra de afiar, esmeril. 

 O corpo é molhado para o sangue não secar e grudar e procede-se a abertura das  cavidades toráxico-abdominal e craniana. Os órgãos são retirados e pesados em  balança eletrônica. Todos os pesos são marcados na lousa (encéfalo, coração, pulmão  direito, pulmão esquerdo, fígado, baço, rim direito, rim esquerdo, timo, peso, altura).  Durante todo o tempo da autópsia o corpo é lavado com água corrente nos lugares  onde haja escoamento de sangue 

 Os órgãos são expostos para visualização do médico plantonista para diagnóstico e  realização dos cortes histológicos. Após examinados os órgãos são recolocados no  corpo e feita a sutura do corte com cordonê mercerizado colorido(fio).Em seguida o  corpo é lavado, fechado no saco de cadáver identificado e colocado na maca e levado  para câmara frigorífica. As roupas são colocadas junto ao cadáver. Se não forem  levadas pela funerária, são colocadas em saco plástico branco e colocadas no lixo  hospitalar. 

A mesa todos o instrumental serão lavados conforme recomendação da ANVISA para  os casos de necropsia.

O material cirúrgico será secado e após guardado nas caixas. 

O piso será lavado após o termino de cada autópsia. 

Depois de autópsias são desprezadas em lixo hospitalar (em autópsias de doenças  contagiosas são sempre desprezadas). 

O avental de pano e a calça são colocados em hamper(Objeto para jogar lixo,  geralmente utilizado como lixeira de hospitais.) para serem posteriormente  encaminhados, pelo auxiliar de necropsia para lavagem. 

 A sala de autópsia deverá ser limpa, pelo auxiliar de necropsia e o lixo colocado em  saco plástico e encaminhado ao lixo hospitalar seguindo as normas da vigilância  sanitária. 

Os pesos anotados na lousa, são transferidos para o livro de pesos da sala de  autópsia. 

A funerária é avisada para buscar o corpo

Compartilhe:

Autor: Somática Educar

Somática Educar - cursos profissionalizantes e de capacitação a distância

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.