Logística reversa: o reverso da logística

Baixe Nosso Aplicativo em Seu Celular e Tenha Todas as Novidades na Sua Mão

Compartilhe:

Autor: Edson Campos Nogueira

e-mail: edsonc.nogueira@hotmail.com

Instituição: Somática Educar

Curso Logística de Serviços, administração de suprimentos, materiais e transportes

LOGÍSTICA REVERSA


Depois de concluídas as fases de fluxo logístico direto grande parte dos bens de pós-consumo retornarão ao ciclo de produção de matéria-prima, partes, peças, componentes e acessórios por meio dos canais reversos de pós consumo, seja por meio do reuso, seja por meio da reciclagem após a revalorização de suas partes, materiais, peças constituintes, originando produtos semelhantes ou similares bem como outro produto. Leite (2003) classifica as categorias de ciclo reversos de retorno ao ciclo produtivo em:

Canais de distribuição reversos de ciclo aberto: são CDRs formados pelas diversas etapas de retorno de materiais constituintes dos produtos de pós consumo: metais, plásticos, vidros, papéis, etc., materiais extraídos de diferentes produtos de pós-consumo, visando a reintegração ao ciclo produtivo e substituindo matérias-primas novas na fabricação de diferentes tipos de produtos. As empresas devem estar preparadas, portanto, para acompanhar sua produção ‘do berço ao túmulo’, sem desprezar nenhuma fase. Por outro lado, os consumidores cada vez mais exigentes, quanto à qualidade dos produtos e o menor impacto desses sobre o meio ambiente, passam a ser foco de estudo nas organizações, que utilizam um novo tipo de marketing para conquistá-los, modernamente denominado de “marketing social”, que objetiva encantá-los privilegiando processos e produtos “limpos”. A Política Nacional dos Resíduos Sólidos (BRASIL, 2010b) reforçou a necessidade da preocupação ambiental, social e econômica dos resíduos sólidos, incentivando a adequação do tratamento e disposição, bem como intensificando a importância da coleta pelas cooperativas de catadores.

cursos logística e serviços da somática educar

Entre as novidades está a inserção da logística reversa como um dos instrumentos dessa política (artigo 3º) e a obrigatoriedade de gerenciamento dos resíduos gerados pós- consumo (artigos 32º e 33º), tanto para fabricantes, distribuidores e vendedores, de modo a oferecer um destino ambientalmente sustentável. Essa medida é válida para materiais agrotóxicos, pilhas, baterias, pneus, óleo, lubrificantes, lâmpadas e eletroeletrônicos. Segundo NOGUEIRA (2008) logística reversa pode ser entendida como: Quando falamos em logística imaginamos um fluxo de produtos, desde o momento em que é gerada a necessidade de atendimento de um produto até sua chegada ao cliente que estará aguardando sua chegada. Mas é importante ressaltar que existe um fluxo reverso, do ponto de consumo até o ponto onde este produto teve seu início de produção. Este fluxo reverso precisa ser gerenciado para obtenção de ganhos expressivos nos negócios. Segundo NOGUEIRA (2008), como pontos importantes nesta rede de recuperação dos produtos, ressalta-se os de suma importância: Coleta, Inspeção, Reprocessamento, Disposição, Redistribuição.

LOGÍSTICA REVERSA NA PRÁTICA – EXEMPLO DE RECALL

Tenha acesso ao artigo completo abaixo:

Baixe Nosso App em Seu Celular e Tenha Todas as Novidades na Sua Mão

Compartilhe:

Autor: Somática Educar

Somática Educar - cursos profissionalizantes e de capacitação a distância

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.