A Cabotagem no Brasil – Sobre a BR do Mar

A partir da publicação da lei, as empresas poderão afretar navios por tempo ou a casco nu (vazios ) para uso na navegação de cabotagem . Passado um ano da vigência, poderão ser dois navios, no segundo ano de vigência três navios, e no terceiro ano da mudança , quatro navios.

Compartilhe:

Autor: Bruno Pereira da Silva

Niterói/RS

Somática Educar

 Atualmente em prazo de recebimento de emendas, aguarda votação no Senado o projeto que institui o Programa de Estímulo ao transporte por cabotagem  (BR DO MAR ) . O PL 4199 / 2020 , do poder executivo  , foi aprovado na Câmara dos Deputados em dezembro do ano passado . O senador Nelsinho Trad (PSD – MS ) .

  Navegação de cabotagem é o transporte aquaviário feito entre portos do mesmo país. Entre as principais mudanças efetivadas, pelo projeto está a liberação progressiva do uso de navios estrangeiros para esse tipo de transporte sem a necessidade de contratar a construção de embarcações  em estaleiros brasileiros . O líder do governo da Câmara, deputado Ricardo Barros (PP – RR ) afirma que o projeto reduzirá o chamado custo Brasil.

Para o consultor do Senado Frederico Montenegro  , o texto facilita a expansão das operações de cabotagem  e a entrada de novos interessados neste mercado .  Segundo ele , aumenta a possibilidade de as Empresas Brasileiras de Navegação (EBN)  afretarem embarcações sem a obrigatoriedade de possuírem embarcações próprias , como exigido pela legislação vigente . Montenegro ressalta que a mudança vem acompanhada de incentivos para que as EBNS mantenham e aumentam a frota própria, o que contribui para um importante aspecto da navegação de cabotagem, que é a disponibilidade do serviço .

A partir da publicação da lei, as empresas poderão afretar navios  por tempo ou a casco nu (vazios ) para uso na navegação de cabotagem . Passado um ano da vigência, poderão ser dois navios, no segundo ano de vigência três navios, e no terceiro ano da mudança , quatro navios.

Depois disso, a quantidade será livre, observadas condições de segurança definidas em regulamento. 

O consultor explica que o afretamento por tempo é aquele no qual o proprietário  ou o armador coloca o navio completamente equipado  e em condição de navegabilidade  à disposição do afretador por tempo determinado .

O afretamento por tempo mantém todos os custos relacionados a sua operação vinculados  à bandeira do seu país de origem  , por isso é um afretamento  mais barato  se comparado ao afretamento a casco nu .

Fonte:

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2021/03/26/br-do-mar-pode-expandir-setor-de-navegacao-de-cabotagem-no-brasil

https://www.portosenavios.com.br/noticias/navegacao-e-marinha/nova-lei-da-cabotagem-favorece-expansao-de-grandes-grupos

Compartilhe:

Visite o Nosso Catálogo De Cursos

Visite o Catálogo de Cursos da Somática Educar!

Compartilhe:

BIOPOLÍMEROS E SUAS APLICAÇÕES

Biopolímeros: São polímeros produzidos por seres vivos. Celulose, amido, quintina, proteína, ADN (Ácido desoxirribonucleico) e ARN (Ácido ribonucleico) são exemplos de biopolímeros, nos quais as unidades monoméricas são respectivamente açucares, aminoácidos e nucleotídeos

Compartilhe:

Autor: Vitor Roque da Silva
Curso Formação de Operador Petroquímico – Somática Educar.

Considerações iniciais 

É inquestionável a necessidade mundial das grandes indústrias  

de cada vez mais adotarem uma pega ecológica. Toda essa  

mudança faz com que empreses de diversos segmentos  

entrem em uma atmosfera de pesquisa e desenvolvimento que  

orbite em torno do verde, ou seja, do Biopolímeros. Uma ideia  

cada vez mais forte nas marcas que querem agregar valor a  

seus produtos, e principalmente, deixar um legado de uso  

consciente dos recursos naturais para gerações futuras. 

O que são os Biopolímeros: 

Biopolímeros: São polímeros produzidos por seres vivos. Celulose, amido, quintina,  proteína, ADN (Ácido desoxirribonucleico) e ARN (Ácido ribonucleico) são exemplos de  biopolímeros, nos quais as unidades monoméricas são respectivamente açucares,  aminoácidos e nucleotídeos. 

Devido a sua decomposição ser mais rápida, em condições favoráveis, os biopolímeros são  uma das principais alternativas aos materiais plásticos derivados do petróleo. Muitos  estudos estão ocorrendo na área a fim de viabilizar seu uso como produto final em diversas  aplicações, pois essa classe de polímeros apresenta um grande potencial de substituição  para os polímeros obtidos a partir de fontes fosseis. 

Exemplos de biopolímeros:  

∙ Amido, o poli (ácido lático) – PLA,  

∙ Polihidroxibutirato – PHB,  

∙ PoIihidroxibutirato-co-polihdroxihexanoato – PHBHx.

Aplicação: 

Podemos encontrar muitos exemplos do uso de biopolímeros no nosso dia a dia, em  diversas áreas. Uma delas é a Medicina, na qual são utilizados os polímeros bioabsorvíveis,  ou seja, polímeros biodegradáveis que podem ser assimilados por um sistema biológico.  Esses polímeros auxiliam na confecção de suturas, implantes e fixações ósseas e devem  ser absorvidos pelo organismo na mesma escala de tempo em que ocorre a regeneração de  um tecido. Um exemplo atual desse tipo de biopolímero é o polihidroxialcanoato (PHA) o  qual é produzido, em biorreatores, por bactérias que guardam os biopolímeros em suas  células. 

Para ter acesso ao Trabalho completo do Ator CLICAR AQUI!

Compartilhe:

Estudo Direcionado às Técnicas de Extração do Petróleo

Começando pela prospecção temos nesta etapa a análise e estudo do solo para averiguar a capacidade de encontrar rochas-reservatório através da análise detalhada do solo e do subsolo.

Compartilhe:

Autor: Vitor Pereira da Silva
Curso Formação de Operador Petroquímico – Somática Educar

Algumas Considerações Referentes ao Curso Operador Petroquímico

É inquestionável a necessidade mundial e da grande indústria o petróleo e seus derivados, durante meu (engrandecedor) aprendizado pelo curso percebi o grande foco em nos ensinar a origem do petróleo e as finalidades de suas frações dentro desta indústria. Sendo assim, escolhi este tema com objetivo de complementar meu aprendizado (e de futuros leitores) acerca das origens do petróleo, mais especificamente em como ele é retirado do solo através de maquinários e grandes esforços conjuntos de diversas áreas do conhecimento, andando desde a geologia até a química de mãos dadas.


Definição de Petróleo


Derivado do latim “petroleum”, o tem como significado “óleo de pedra”. É uma combinação de hidrocarbonetos de diversos tamanhos de cadeia, podendo ser fechada, aberta ou ramificada. Tem como característica sua viscosidade (menos densa que a água) e sua cor variante entre preto e castanho escuro, -também pode conter quantidades pequenas de nitrogênio (N), oxigênio (O), compostos de enxofre (S) e metais, principalmente níquel (Ni) e vanádio (V)-.


Teorias de Formação do Petróleo


Tendo como base a teoria orgânica crê-se que o petróleo teve origem a partir materiais orgânicos soterrados a certas condições de temperatura. A teoria inorgânica por sua vez tem como teoria moléculas de hidrocarbonetos, que, a certas condições de alta temperatura e pressão (no manto do planeta) adicionadas a posteriores contaminações biológicas por bactérias na crosta terrestre formaram o petróleo.

Acesse o Artigo na íntegra

Compartilhe:

Variação do preço das commodities

Através deste estudo podemos observar as variáveis que possuem influência no preço das commodities. Sabemos que o Brasil é um grande produtor é exportador de commodities agrícolas, diante disso é de grande importância compreender os fatores que influenciou o preço das commodities .
Devido a várias análises encontramos resultados que para as principais commodities brasileiras os fatores que influenciam o preço são, o efeito China, os custos de produção, os fatores climáticos e o uso de derivativos.

Compartilhe:

Autor: Paulo Henrique Castro Singh

Somática Educar – Curso Profissionalizante Corretor de Commodities – Metais, Petróleo, Energia, Agricultura e Carnes

Resumo 

Através deste estudo podemos observar as variáveis que possuem influência no preço das  commodities. Sabemos que o Brasil é um grande produtor é exportador de commodities  agrícolas, diante disso é de grande importância compreender os fatores que influenciou o  preço das commodities . 

Devido a várias análises encontramos resultados que para as principais commodities brasileiras  os fatores que influenciam o preço são, o efeito China, os custos de produção, os fatores  climáticos e o uso de derivativos. 

Palavras chaves. 

Commodities, agrícola e variáveis. 

Introdução 

Commodities são artigos de comércio, bens que não sofrem processos de alteração. Exemplo,  fruta, legumes, cereais e alguns metais. são negociados na bolsa de valores pois possuem um  determinado padrão internacional ,tendo assim seus preços fixado a nível global pelo  mercado Internacional. 

Com capacidade de serem estocados por um determinado período sem que tenha perda na  qualidade. 

A Confederação da agricultura é pecuária do Brasil mostra em seu relatório em( 2015) que o  setor agrícola em relação ao PIB, representou através do agronegócio 28% do produto interno  bruto nacional , Isso mostra a importância do setor do agronegócio para a economia brasileira.  

Tema e problema 

Buscamos identificar através da revisam da literatura empírica , a variação que influenciam os  preços das commodities agrícolas e quais a justificativa para essa influência. 

Sendo assim mostrando ao leitor melhor compreensão sobre o mercado de commodities  agrícola e como esses ativos são precificados.

Objetivo geral. 

Observar as várias ações que trazem maior influência dos preços das commodities agrícolas,  através de recentes pesquisas acadêmicas publicadas. 

Objetivo específico. 

Mostrar as variáveis que pecificam as commodities agrícolas, sendo assim as que afetam  diretamente os preços cotados. 

Justificativa. 

O estudo das variações que interferem na determinação dos preços através de  comportamentos é de fundamental Importância para a economia, com flutuações sazonais dos  preços das commodities agrícolas provocam instabilidade tanto na renda do produtor tanto no  planejamento orçamentário dos investidores e dos governos. 

Em período de baixa dos preços ou excesso de produção, ou em período de preços muito  elevados, isso pode provocar uma instabilidade podendo provocar desestímulos a produção, assim seria necessário o conhecimento sobre o padrão de flutuação sazonal e a volatilidade  desses preços, para que possam ser compreendido como funciona o comportamento do preço  das commodities agrícolas. 

O estudo dos preços agropecuários configura se como ponto de interesse geral, devido a  ampla gama de inter-relação com outros setores da atividade econômica. 

Desenvolvimento. 

Precificação das commodities agrícolas. 

Existem vários fatores que influenciam a precificação das commodities agrícolas, entre os  quais a oferta é demanda. 

Com o grande crescimento populacional e econômico de países emergentes que necessitam  de commodities como matéria-prima e para consumo alimentício de suas populações. 

Outro fator é a crescente necessidade da agricultura estar voltar a produção de  biocombustíveis, impactando de forma certeira a quantidade de commodities agrícola  ofertada, uma vez que no momento da colheita tem-se a diferenciação das intenções de uso o  que afeta diretamente os estoques mundiais. 

Influenciando diretamente as relações de oferta e demanda, São os eventos climáticos, e  indiretamente os preços praticados. Chuvas ou secas com durações e ocorrências foras dos  padrões esperados reduzem o estimulam as quantidades produzidas por agricultores. Isso influência sobre as quantidades físicas ofertadas de produtos agrícolas. 

Sendo assim, sabemos que vários fatores influenciam direta ou indiretamente a precificação  das commodities agrícolas. 

Fatores que influenciam a oferta. 

• Custo de produção 

• Fatores climáticos 

• Políticas de incentivo à produção de biocombustíveis 

• informações divulgadas por agências internacionais

• informações divulgadas por agências internacionais 

• nível de estoque mundial. 

Fatores que influenciam a demanda. 

• Efeito China  

• Variações das taxas cambiais 

• Derivativos 

• efeitos especulativos de mercado financeiros 

• níveis de estoque mundial 

preços observados em outras bolsas internacionais 

analisando separadamente os fatores a fim de verificar quais deles influenciam cada  commodities e como se dá tal influência, criando conexões entre preços praticados  dessas commodities, aplicados ao mercado Internacional. 

Conclusão. 

Com esse estudo bibliométrico dos autores analisados, observamos que os preços das  commodities agrícolas são influenciados por vários fatores econômicos, climáticos e  financeiros, influenciando as relações de oferta e demanda, também afetam à volatilidade dos  preços e spot e dos preços futuros. Tendo vários fatores influenciadores, mas os autores  analisados destacam como os principal o efeito China, que é caracterizado pelo aumento  populacional e o crescimento econômico de países emergentes, afetando as relações de  demanda mundial das commodities primárias. 

Influenciando profundamente as commodities agrícolas temos o fator climático, Isso afeta o  lado da oferta, bem como o uso de derivativos e a sua influência na relação dos preços spot e  futuro de cada commodity. 

Combustíveis é biocombustíveis são importantes fatores que influenciam a precificação, devido aos seus constantes aumentos. Grande parte dos custos de produção das commodities  agrícolas estão relacionadas aos preços de logística desses produtos e ao uso deste  combustível para tratores e outros equipamentos necessários para a produção. 

Essa pesquisa bibliográfica mostra que os resultados encontrados acimas superem as  expectativas que se esperava no objetivo demonstrando as principais variáveis que impactam  o processo de precificação das commodities agrícolas. 

Referências. 

MORAES, André Steffens; LIMA, Ricardo Chaves; MELO, André de Souza. Análise da 

Eficiência do mercado futuro brasileiro de boi gordo usando co-integração. Revista de  Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 47, n. 3, jul./set. 2009. Disponível em:  http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-20032009000300003&script=sci_arttext.  

NUNES, José Luís da Silva. Soja: histórico. In: Agrolink, s. d. Disponível em:  http://www.agrolink.com.br/culturas/soja/historico.aspx.  

PECUIÁRIA no período colonial. In: Brasil Escola, s. d. Disponível em:  http://www.brasilescola.com/historiab/pecuaria-no-periodo-colonial.htm.  PRATES, Daniela Magalhães. A alta recente dos preços das commodities. Revista de Econ.  Polít., São Paulo, v. 27, n. 3, p. 323-344, jul./set. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-31572007000300001&script=sci_arttext.  

RIGHI, Marcelo Brutti; CERETTA, Paulo Sergio. Previsibilidade e eficiência no mercado  Agrícola. Ciência Rural, Santa Maria, v. 41, n. 10, set./out. 2011. Disponível em:  http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782011001000028

RODRIGUES, R. O papel do setor privado e os novos desafios do abastecimento nacional.  Revista de Política Agrícola, a. X, n. 1, p. 7-12, jan./fev./mar. 2001. 

ROMEU, Marina Campanelli. Análise dos impactos dos especuladores nos retornos dos  Preços futuros das principais commodities agrícolas exportadas pelo Brasil. 2014. 67 f.  Dissertação (Mestrado) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, São Paulo.  2014. 

SERIGATI, Felippe. Fundamentos X Mercados financeiros. Agroanalysis, ago. 2012.  Disponível em: http://www.agroanalysis.com.br/materia_detalhe.php?idMateria=1314.  

SIGNIFICADOS. Commodities. 2015. Disponível em:  http://www.significados.com.br/commodities/.

Compartilhe:

Novidades Somática Educar

Estamos oferecendo diversas pós graduações extensiva as diversas regiões no Brasil e Exterior .

Compartilhe:

Pessoal , estamos oferecendo diversas pós graduações extensiva as diversas regiões no Brasil e Exterior .

Interessados acessar nosso site: https://www.somaticaeducarfaculdade.com.br/

e

Demais Pós e MBAs

Interessados aqui de Cruz alta e região agendar uma visita ao nosso pólo aqui em Cruz Alta pelo whatsapp 55 999876524

Também logo estaremos com Pós e Graduações no Pólo Somática Educar certificados pela Cruzeiro do Sul e UNISA

#posgraduacaoead#posgraduacao#posgraduacaoonline#somaticaeducar#somaticaeducarcursos

Compartilhe:

Princípio de Arquimedes – Arqueação de Navios

O processo de determinação da quantidade de carga transportada por uma embarcação utiliza, de maneira precisa, o princípio de Arquimedes.

Compartilhe:

Autor: RENATO FERRAZ AKAOUI

e-mail:ngslamim2@yahoo.com.br

Curso Arqueação de Navios – Somática Educar

O processo de determinação da quantidade de carga transportada por uma embarcação utiliza, de maneira precisa, o princípio de Arquimedes.

O Princípio de Arquimedes estabelece que um corpo que flutua em um fluído desloca um volume deste fluído cuja massa equivale a massa do corpo flutuante.

Portanto, neste método de cálculo, esta metodologia para se determinar esta da massa da embarcação, consiste em se obter a leitura do respectivo Calado, para então multiplicá-lo  pela densidade da água onde o mesmo está aportado. 

A metodologia para se determinar a densidade da água aparenta ser um processo simples, mas exige algumas considerações para não se incorrer em leituras incorretas.

A densidade da água em que o navio flutua deve ser determinada no mesmo instante e no mesmo local em que são feitas as leituras dos calados nas marcas.

A densidade média da água dos oceanos é de 1024,12 Kg/m3.

Mas nos cálculos de arquitetura naval, nas curvas e tabelas hidrostáticas do navio, considera-se a água salgada como tendo uma densidade relativa de 1025 Kg/m3 e sendo a densidade relativa da água doce à 1.

A tabela abaixo mostra a variação de densidade da água em função da salinidade, assim como a da temperatura.

Para ter acesso ao Artigo Completo Clique Abaixo



Compartilhe:

Refino do Petróleo e Suas Evoluções no Brasil

Este trabalho tem por objetivo apresentar a evolução da indústria do refino de petróleo no Brasil desde suas origens, sua evolução ao longo dos anos, explicitando as mudanças no perfil de produção, na matéria prima processada e na complexidade das nossas refinarias

Compartilhe:

Autor: ELIDIANO NOGUEIRA LEAL
e-mail: elidiano9@gmail.com

Curso Profissionalizante Logística para a Indústria de Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

Este trabalho tem por objetivo apresentar a evolução da indústria do refino de petróleo no Brasil desde suas origens, sua evolução ao longo dos anos, explicitando as mudanças no perfil de produção, na matéria prima processada e na complexidade das nossas refinarias. Busca, também, apresentar os próximos passos para o refino de petróleo nacional, seus desafios face a produção de petróleos pesados e ácidos, bem como os impactos provocados pela necessidade de produção de derivados com especificações cada vez mais restritivas e com menor impacto ambiental. Optou-se pelo hidro refino como o primeiro grande passo para os próximos anos concluindo-se que unidades para o hidrotratamento de correntes intermediárias ou mesmo produto assumirão um papel fundamental nos futuros esquemas de refino. Outra vertente importante analisada foi a necessidade de aumento de conversão, ressaltando-se que o caminho hoje escolhido de implantação de Unidades de Coque amento Retardado se esgota no início da próxima década abrindo caminho para a tecnologia de hidro conversão de resíduo. Com relação à qualidade da gasolina e do óleo diesel.

Para verificar trabalho na íntegra basta acessar abaixo

Compartilhe:

Perícias Aduaneiras

As perícias aduaneiras fazem parte do sistema de controle do Estado, e permitem a justa e exata identificação e quantificação de mercadorias ou equipamentos importados ou exportados.

Compartilhe:

Autor: Antonio Paulo Monteiro de Souza

Curso Draft Survey

e-mail: djpauloms@yahoo.com.br

A importância da perícia aduaneira, para quantificação e identificação de mercadorias e equipamentos a serem importados ou exportados, como forma de controle pelos órgãos fiscalizadores, essenciais à defesa dos interesses fazendários nacionais, ou seja, visa evitar possível evasão ou recolhimentos a menor de tributos, e ainda a aquisição de bens de consumo ou materiais orgânicos que poderiam prejudicar a economia, a indústria, a agropecuária nacional dentre outros.

            A autoridade aduaneira, em caso de duvida solicita a identificação ou à quantificação da mercadoria, sendo esta perícia realizada por órgãos ou entidades da Administração Pública ou por entidades privadas ou peritos especializados, previamente credenciados. A perícia também poderá ser solicitada pelo exportador ou importador.

            A identificação e quantificação, no caso de commodites a serem exportadas, por exemplo a exporação de bauxita ou ferro, utilizando a ferramenta da arqueação, fazem com que o órgãos de controle / gestores, tenham um perfil das transações comerciais internacionais dessas commodites, mostrando dentre outras, a balança comercial do Brasil; o ambiente de negócios com demais países; o impacto no PIB – produto interno bruto; a geração de empregos no setor; a questão sócio ambiental, a questão de logística de transporte, etc.

            Com o aumento da produção do agronegócio, com destaque da soja, o país tornou-se um grande exportador. Aí a importância da perícia aduaneira tem relevância, com destaque a perícia onde a arqueação se faz necessária, por utilizar navios de grande porte, e ainda com o surgimento de novos portos, e consequentemente uma maior fiscalização aduaneira, esta quantificação e identificação por parte de peritos em arqueação tende a crescer.

            Nos casos de importações de equipamentos, não fabricados pela indústria nacional, e que por legislação aduaneira tem direito a ex-tarifário – isenção de imposto de importação – cabe perícia, solicitada pela autoridade aduaneira quando houver duvida, neste caso a perícia é realizada por perito especializado.

            As perícias aduaneiras fazem parte do sistema de controle do Estado, e permitem a justa e exata identificação e quantificação de mercadorias ou equipamentos importados ou exportados.

Compartilhe:

Exploração e Extração do Petróleo

As Sonda de perfuração ou Plataforma de perfuração são equipamentos utilizados para perfurar poços que permitam o acesso a reservatórios de petróleo ou gás natural.

Compartilhe:

Autor: Anderson Soares Oliveira dos Santos

E-mail: andersonsoares_ms@hotmail.com

Instituição: Somática Educar

Curso Operador de Sonda – Plataformista

O Petróleo é um combustível fóssil que corresponde a uma substância oleosa cuja densidade é inferior à da água e é inflamável. É considerado um dos principais recursos naturais utilizados como fonte de energia da atualidade. Considerado um óleo de origem fóssil, ele leva milhões de anos para ser formado nas rochas sedimentares, em áreas marítimas e terrestres. Da descoberta dos campos até a transformação nos diversos produtos presentes no nosso dia a dia, o petróleo percorre uma longa jornada, que envolve muito estudo e investimento.

O petróleo é originado a partir da decomposição de matéria orgânica, especialmente, dos plânctons.  Segundo o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), o petróleo constitui uma mistura de hidrocarbonetos (moléculas de carbono e hidrogênio) que se encontram em estado líquido (em temperatura e pressão ambientes). É constituído também por compostos sulfurados, nitrogenados, oxigenados, resinas, asfaltenos e metálicos como ferro, cobre e zinco.

As descobertas no pré-sal estão entre as mais importantes em todo o mundo na última década. Essa província é composta por grandes acumulações de óleo leve, de excelente qualidade e com alto valor comercial. Para descobrir reservas e operar com eficiência em águas ultraprofundas, é necessário sondas de perfuração, plataformas de produção, navios e submarinos com recursos que movimentam toda a cadeia da indústria de energia.

As Sonda de perfuração ou Plataforma de perfuração são equipamentos utilizados para perfurar poços que permitam o acesso a reservatórios de petróleo ou gás natural. Dependendo da localização do reservatório, as sondas podem ser terrestres ou marítimas. Estas últimas são instaladas sobre uma base flutuante e podem ou não ter propulsão própria.

A Perfuração é realizada através de uma sonda, a qual utiliza-se vários equipamentos que são responsáveis para sustentação de cargas, estrutura de aço especial, espaço vertical acima da plataforma e execução de “manobras”.

Uma sonda rotativa é constituída de vários sistemas, cujos principais são: Sistema de geração de energia; Sistema rotação; Sistema de movimentação de cargas; Sistema de circulação de fluidos; Sistema de controle de poço e Sistema de controle e monitoração.

A perfuração pode ser feita em terra ou no mar. Em terra, é feita por meio de uma sonda de perfuração. No mar, as etapas de perfuração são idênticas. A diferença é que são feitas por meio de plataformas marítimas. A profundidade de um poço pode variar de 800 a 6.000 metros. Uma vez encontrado petróleo, diversos poços são perfurados, de forma a estudar a viabilidade comercial de exploração daquela jazida.

Uma vez verificada a viabilidade comercial, inicia-se a etapa de produção. O petróleo pode ser expelido espontaneamente devido à pressão interna dos gases, ou pode ser necessário extraí-lo por meio de métodos mecânicos.

Durante o processo de extração do petróleo pode ocorrer também a extração do Gás Natural, principalmente, nas bacias sedimentares brasileiras, onde o gás natural, muitas vezes, encontra-se dissolvido no petróleo. Dessa forma, o gás natural (tecnicamente chamado de Gás Associado ao Petróleo) é separado do petróleo durante as operações de produção.

Terminada a etapa de produção, o petróleo e o gás natural são transportados por meio de dutos ou navios para os terminais, onde são armazenados. Em seguida, o petróleo é transferido para as refinarias, onde será separado em frações, pois o óleo bruto praticamente não tem aplicação.

Compartilhe: