Arqueação de Carga Granel Líquido

Autor: FRANCISCO AURELIO CAMPOS MILHEIRO
e-mail: aureliomilheiro@gmail.com

Curso Arqueação de navios – Somática Educar

A arqueação de granel líquido é feita de forma diferente da arqueação de granel sólido, pois o granel líquido possui características diferentes do granel sólido, levando a diferenças no transporte do granel líquido em relação ao granel sólido e também diferenças entre o navio transportador de carga líquida. 

Os navios tanque são os principais navios para transporte de granel líquido

O transporte de cargas líquidas é tão importante quanto o de granel sólido, desde as bebidas, como vinho e sucos, até os produtos da indústria do petróleo e gás e outros produtos químicos.
O granel líquido porém tem suas complexidades que dificultam as operações, o cálculo de arqueação de seu navio é feito de maneira diferente, o transporte de líquidos deve levar em consideração fatores adicionais como pressão e temperatura que deixam o navio que o transporta igualmente complexo.


Os líquidos podem ser transportados tanto em granel quanto em caixas ou barris e os sólidos podem ser transportados em granel ou container ou caixas. Quando se fala em transporte a granel, é importante esclarecer que a carga a granel indica que o líquido ou o sólido está sendo transportado diretamente nos porões ou tanques do navio, ou seja o líquido não é encaixotado antes de entrar no navio, então não existe uma embalagem ou caixa ou barril onde se armazena o granel líquido antes de entrar nos tanques ou o granel sólido antes de entrar nos porões dos navios. O granel líquido entra em contato direto com a estrutura dos tanques do navio. Os navios que transportam líquidos como vinho ou suco ou leite tem seus tanques preparados para manter a conservação e pureza destes líquidos, sem contaminar esses produtos. Existem também os navios de produtos químicos que tem estruturas especiais para suportar essas cargas.


Particularidades dos líquidos transportados: – Movimento de superfície livre, é o movimento do líquido dentro de um outro objeto (que também está sujeito a um movimento), esse movimento é importante para o dimensionamento da estrutura dos tanques e influencia na divisão dos tanques. – No navio de granel líquido, a carga e descarga é feita através de um sistema de carga e descarga, composto por bombas, tubos, válvulas, mangotes. A ligação dessas linhas de carga com o terminal do porto pode complicar em casos de variação forte da maré ou movimentos fortes do navio. – A limpeza dos tanques que transportam granel líquido é feita de maneira diferente dos tanques que transportam granel sólido. A limpeza é importante para evitar contaminação ou mistura das cargas de granel líquido. – Estanqueidade dos tanques, pois a carga líquida vazaria se não houvesse a vedação total dos tanques dos navios; – Risco de derramamentos dos líquidos se ocorrer corrosão da estrutura ou dano por impacto, devido a isso os navios de granel líquido tem obrigatoriedade de possuir a estrutura dos tanques com fundo duplo. – variação do volume, temperatura e pressão do granel líquido transportado; – diferença entre a temperatura da carga e a temperatura das tabelas de volume dos tanques dos navios;


Existem também os navios que transportam gases liquefeitos. Inicialmente (1928) o transporte era feito em vasos de pressão transportados a temperatura ambiente. A partir de 1959 foram construídos navios que possibilitavam o transporte semi-pressurizado, o que possibilitou diminuir a pressão em que os gases eram transportados através da diminuição da temperatura do navio. A partir de 1963 navios completamente refrigerados entraram em operação, possibilitando o transporte de gases como o LNG e LPG em pressão atmosférica, porém com uma temperatura baixíssima.
Navios para transporte de líquidos químicos: A partir de 1950 navios especialmente para transporte de químicos foram construídos, como o ácido sulfúrico, tinham tanques revestidos de liga de aço, com reforço estrutural para resistir a produtos de densidade elevada. A partir de 1960 foram construídos navios com tanques revestidos de aço inoxidável. A partir de 1993 a MARPOL determinou a obrigatoriedade de cascos duplos para petroleiros, para evitar derramamento de carga líquida no mar.
Para fazer o cálculo de arqueação da carga líquida dentro de um tanque, devemos medir a altura do volume de líquido dentro do tanque, com o auxílio de uma trena sonda que identifica a interface superior do líquido dentro do tanque, e também mede a temperatura do líquido dentro do tanque, essa altura do líquido dentro do tanque é chamada de Ullage ou Innage. Ullage é a altura do tanque vazio, ou seja é a altura entre o nível superior do líquido e o topo do tanque. Innage é a altura do tanque cheio de líquido, ou seja a altura entre o fundo do tanque e o nível superior do líquido dentro do tanque. O surveyor deve medir também a temperatura do líquido dentro do tanque, pois durante o cálculo deveremos corrigir o volume pela temperatura padrão das tabelas de conversão. Além disso, deve-se passar na ponta da trena sonda uma pasta especial que identifica a presença de água no fundo dos tanques, pois pode haver água no fundo dos tanques e essa água não deve ser contabilizada como carga dentro dos tanques. O surveyor deve medir também a densidade da carga, para usar nos cálculos do volume de carga dos tanques.


Após medir o Ullage dos tanques devemos fazer os cálculos consultando a tabela dos volumes dos tanques do navio, essas tabelas relacionam os valores de Ullage ou Innage com valores de volume dos tanques e para valores de Trim, por isso devemos calcular o Trim, pois a tabela possui valores para Trim even keel (Trim zero) ou derrabado (Trim positivo) ou embicado (Trim negativo). Pode-se observar que a leitura de calados para calcular o valor do Trim apenas é necessário para sabermos se ao consultar na tabela de Ullages x Volume, consultaremos em valores de Trim zero, positivos ou negativos, mas os cálculos são diferentes do Draft Survey para granel sólido, não é necessário fazer as correções de Trim, pois os valores de carga corrigidos para o Trim são lidos nas tabelas dos volumes de cada tanque do navio.

Tenha acesso ao artigo completo abaixo

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.