Arqueação

AUTOR : LUCIO MARTINHO  NOGUEIRA

EMAIL : lucio_martinho@ yahoo.com.br

CURSO : ARQUEAÇÃO DE NAVIOS DRAFTH SURVEY

INSTITUIÇÃO: SOMATICA EDUCAR – CURSOS A DISTANCIA

Um grande e comum problema enfrentado pelos imediatos, no momento de confeccionar um plano de carregamento, está no cálculo de carga a ser embarcado, em navios graneleiros, onde são efetuadas várias correções para os calados medidos a bordo para a obtenção da carga final a ser embarcada. Essa operação é mais conhecida como Draft & Survey, quando traduzida literalmente significa “pesquisa de calado”.  Este trabalho trata de uma metodologia computacional para simplificar, o processo de cálculo da quantidade de carga a ser embarcada em navios graneleiros, bem como o fornecimento da constante de bordo. E tem o objetivo de agilizar e trazer confiança nos cálculos dessa operação, proporcionando maior compreensão e servindo como referência para resolução de exercícios de Draft Survey e ainda, de auxiliar na construção de tabelas inteligentes no Microsoft Excel, de modo que cada operador, estudante ou surveyor, possa criar sua própria tabela para a pesquisa.

A arqueação é a medida do volume interno de uma embarcação. A arqueação de cada navio compreende a arqueação bruta e a arqueação líquida. Atualmente, as medidas de arqueação internacionalmente em vigor consistem em valores adimensionais obtidos por fórmulas de cálculo onde entram os volumes expressos em metros cúbicos, o número de passageiros, o pontal e a imersão de cada navio.

A antiga arqueação – segundo o Sistema Moorsom, que vigorou até 1994 – era medida em toneladas de arqueação (equivalentes a 100 pés cúbicos ou 2,83 metros cúbicos), sendo por isso também referida frequentemente como “tonelagem de arqueação” ou simplesmente “tonelagem”. A utilização do termo “tonelagem” para designar a nova arqueação é tecnicamente incorreta.

Como é referida frequentemente como “tonelagem” (termo normalmente associado à tonelada de massa), a arqueação é muitas vezes confundida com uma medida de massa ou de peso. O termo refere-se contudo ao tonel, uma antiga unidade de medida de volume. Assim, tanto a arqueação antiga como a atual são exclusivamente medidas de volume. A massa e o peso dos navios são expressos pelo deslocamento e pelo porte.

As atuais medidas internacionais de arqueação foram estabelecidas pela Convenção Internacional sobre a Arqueação de Navios, 1969 (ICTM 1969, International Convention on Tonnage Measurement of Ships, 1969), no seio da Organização Marítima Internacional, aplicando-se a todas as embarcações exceto navios de guerra, navios de comprimento inferior a 24 metros e navios que naveguem exclusivamente em certos corpos de água sem acesso ao mar aberto. Entraram em vigor a 18 de julho de 1982 para os navios construídos a partir dessa data e a 18 de julho de 1994 para todos os restantes navios. O propósito da arqueação de navios é determinar a quantidade carga carregada ou descarregada em uma embarcação para beneficio de todas as partes interessadas, entre elas podemos citar: Receita Federal, Embarcador, Cliente, Marinha entre outros órgãos reguladores e de fiscalização.

Uma arqueação deve ser realizada antes do inicio do carregamento ou descarregamento para determinar o peso do volume de água inicialmente deslocado pela embarcação, este valor irá indicar seu peso total, podendo também ser realizado no decorrer da operação (carga ou descarga) para um resultado intermediário e após o seu termino, sendo os dois últimos levando em conta o deslocamento inicial e final aonde medimos a diferença, no intuito de determinar a carga do navio.

Invista em Sua Carreira Aqui!

Para executar a arqueação, é indispensável o conhecimento do navio, sua geometria, sua estrutura e engenharia e com intermédio de algumas constantes do navio, bem como a utilização de tabelas. Com isso é possível determinar a quantidade de carga carregada ou descarregada de bordo.

A Arqueação é aceita no comercio internacional como processo mais conveniente e econômico de medição de carga de um navio.

É com base na arqueação que os navios são primeiramente classificados, bem como é com base naquela que são definidas as taxas de porto, de pilotagem, de registro e outras Portanto para determinar a quantidade de carga a bordo de uma embarcação sem fazer uso de balanças, basta verificar o nível de imersão do navio através da leitura das marcas de calado e consultando as chamadas tabelas hidrostáticas. Podemos calcular o peso do volume de água deslocado o qual coincidirá com o peso bruto do navio, tendo este ultimo dado e reduzindo deste os pesos conhecidos de outros elementos que estão também a bordo ( consumíveis e Light ship) encontraremos o pesos da carga.

Por fim, podemos afirmar que esta atividade  de “arquear navios” está intrinsecamente ligada a Engenharia Naval, de Materiais e Processos. É algo apaixonante de dinâmico ligado as operações portuárias que move a economia mundial.
Para o arqueador cada navio é um projeto, cada projeto uma realização profissional com sensação de missão cumprida.

Faça Sua Pós Aqui!

FONTE – OBRAS CONSULTADAS:

(MARINHA DO BRASIL -CENTRO DE INSTRUÇÃO ALMIRANTE GRAÇA ARANHA – CIAGA ESCOLA DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DA MARINHA MERCANTE)-  (UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO  CENTRO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE FÍSICA .ARQUEAÇÃO DE NAVIOS: PRINCIPIO DE ARQUEMEDES UTILIZADO NOS PORTOS PARA DETERMINAÇÃO DE CARGA EMBARCADA/DESEMBARCADA EM NAVIOS GRANELEIROS)- ( ARTE NAVAL – MARINHA DO BRASIL) Estudos de Engenharia Naval; Networking (Comandantes, Super Cargos e Draft Surveyor); Blogs e Fóruns relacionados ao tema.( ESTABILIDADE PARA EMBARCAÇÕES MERCANTES – 2ª Edição    – Revista e atualizada )

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.