Transporte marítimo: tipos de cargas e seus manuseios

As cargas marítimas são classificadas de acordo com o seu manuseio e modais de transporte. Atualmente, cada classe de carga corresponde a um tipo especifico de navio com características compatíveis à sua movimentação. A classificação relacionada com cada tipo de transporte compreende a dois grandes grupos: a carga geral e os granéis.

Compartilhe:

Autor: Joari Bentes 

E-mail: joaribentes@gmail.com 

Curso: Agenciamento Marítimo 

Instituição: Somática Educar

As cargas marítimas são classificadas de acordo com o seu manuseio e modais de transporte.  Atualmente, cada classe de carga corresponde a um tipo especifico de navio com características  compatíveis à sua movimentação. A classificação relacionada com cada tipo de transporte  compreende a dois grandes grupos: a carga geral e os granéis. 

A carga geral é manuseada e transportada em embalagens, arranjos ou agrupamentos. E é  dividida em três formas de manuseio: carga geral solta, neogranéis e os contêineres. 

A carga geral solta refere-se as mercadorias que são separadas em parcelas para facilitar o  manuseio pelos equipamentos ou por indivíduos(s) ao passar de um modal de transporte para  outro. Este método é utilizado há muito tempo, portanto, para os dias atuais é um processo que  envolve muita mão de obra, é lento e oneroso. Vem sendo gradualmente substituído pelo uso  dos contêineres que não têm essas falhas. 

Os neogranéis corresponde ao carregamento de mercadorias homogêneas em que, o volume  ou quantidade possibilita o transporte em lotes ou em um único embarque, por vezes não são  economicamente viáveis de serem conteinerizados como bobinas e placas de aço. Neogranéis  também são mercadorias que têm condições de se movimentar a partir de seus próprios meios  como automóveis ou animais vivos, tendo ambos, classes especificas de navios de transporte.  Há também, situações especificas de neogranéis como as “cargas de projeto” ou equipamentos  completos ou em partes desmontadas em que suas dimensões e peso são acima da capacidade  dos demais navios. 

Os contêineres, como já foi mencionado no parágrafo sobre carga geral solta, resolvem falhas.  Pois possibilita o içamento da carga na carreta diretamente para o navio, isso acaba com o  processo penoso de manusear peça a peça e oferece maior segurança evitando avarias,  principalmente recorrente de roubos. Ao longo dos anos padronizou-se o contêiner de 20 pés  com capacidade de 33,6m³ ou 19.046kg e o contêiner de 40 pés com capacidade de 66,4m³ ou  27.170kg. 

Os granéis são movimentados sem o auxilio de embalagens. E são tratados em duas formas de  movimentação: granéis sólidos e granéis líquidos. 

Os granéis sólidos são cargas homogêneas como grãos e coque de carvão. O embarque  compreende em lançar diretamente nos porões dos navios e a quantificação é feita por balanças  nos transportadores ou através da variação do calado do navio. O desembarque é feito com  sistemas pneumáticos de sucção. 

Os granéis líquidos são produtos químicos, óleos vegetais, etc. O manuseio e transporte é  semelhante aos granéis sólidos só que a quantificação é feita em volume e são empregados  navios-tanque.

Compartilhe:

MÉTODOS PARA SE CALCULAR DRAFT SURVEY

As atividades que envolvem o draft devem ser realizadas de uma só vez em um curto intervalo de tempo onde uma seja suscetível a outra, assim evitando diferenças no resultado e chegando a um resultado confiável.

Compartilhe:

NOME: PATRICK SIQUEIRA DE OLIVEIRA

CURSO: ARQUEAÇÃO DE NAVIOS – DRAFT SURVEY

EMAIL: PATRICK.AGRONOMIA@HOTMAIL.COM

As atividades que envolvem o draft devem ser realizadas de uma só vez em um curto intervalo de tempo onde uma seja suscetível a outra, assim evitando diferenças no resultado e chegando a um resultado confiável. (PEREIRA,2011).

Algumas dessas atividades são:

  • Leitura dos calados.
  • Determinar a densidade em que esse navio flutua.
  • Determinar a constante do navio. 
  • Obter o valor dos pesos dos consumíveis. 
  • Obter os valores do cálculo do calado.
  • Determinação do deslocamento real do navio.
  • Obter o real peso da carga que será transportada.

As operações devem ser feitas na forma em que as leituras de calado sejam feitas nas seis marcas de calados, na parte da frente, no meio e na traseira do navio, coletar a água de onde se navega, fazer medição de tanques de lastro, óleo, combustíveis e água doce que existem a bordo. (GOMES,1986)

A parte da documentação segundo (PEREIRA,2011), são necessários:

  • Tabela ou plano de curvas hidrostáticas.
  • Tabela de sondagem para os tanques de óleo combustível.
  • Livro de dados do navio.
  • Tabela de ulagens.
  • Plano de capacidade.
  • Plano de arranjo geral.

A leitura de calado e uma das atividades que requer muita atenção, pois esses valores que lhe dará um resultado confiável na arqueação da carga.

Quanto a densidade de água ela é definida como uma quantidade de massa por uma unidade de volume. (DERRET,1999)

A densidade da água deve ser determinada no mesmo instante em que e feita a leitura de calado.

A agua salgada tem uma densidade relativa de 1,025 T/m^3, e a densidade da agua doce tem 1 T/m^3, esse valor real que ajuda corrigir o deslocamento obtido nas tabelas ou curvas hidrostáticas, esse valor da densidade é obtido através de um densímetro, balde e uma proveta.

Para início dos cálculos deve-se obter:

  • Consumíveis.
  • Valor da constante do navio.
  • Valor de deslocamento leve.
  • Valor de deslocamento do navio carregado.

Lembrando que os calados são muito importantes nessa etapa, devem ser coletados na parte da frente, meio e traseira do navio.

REFERÊNCIAS 

DERRETT, C. D. R. Ship Stability for Masters and Mates. 5ª. ed. Burlington: Butterworth-Heinemann, 1999. GOMES, C. R. C. A Arqueação da Carga: Draft Survey. 1ª. ed. Rio de Janeiro:

Compartilhe:

ARQUEAÇÃO DE NAVIOS – DRAFT SURVEY

Arqueação Bruta ou Arqueação líquida, genericamente referem-se a valores adimensionais proporcionais ao somatório dos volumes fechados e volume reservado a armazenagem de cargas de um navio, respectivamente.

Compartilhe:

Talvez para os iniciantes no assunto o termo utilizado em português “Arqueador” possa  confundir. Já o termo em inglês “Draft surveyor” traduz com maior clareza qual a finalidade  deste profissional o qual através da inspeção dos calados do navio, verificação da densidade da  água no local e execução de cálculos baseados em dados particulares do navio emite um laudo  informando a carga embarcada ou desembarcada. 

Autor: João Victor Cavalcante

e-mail: jvncavalcante@gmail.com

Curso Draft Survey

Arqueação Bruta ou Arqueação líquida, genericamente referem-se a valores adimensionais  proporcionais ao somatório dos volumes fechados e volume reservado a armazenagem de  cargas de um navio, respectivamente. 

Para a execução dos cálculos que resultarão nos valores em “massa” (toneladas) de carga  embarcada ou desembarcada de um navio, antes de mais nada é preciso conhecer conceitos  básicos de arquitetura naval e estabilidade do navio, isto porquê o conceito utilizado no tema  é simples e conhecido, trata-se do “Princípio de Arquimedes – todo corpo que se encontra  imerso em um fluido recebe a ação de uma força vertical para cima, cuja intensidade é igual  ao peso do corpo que está dentro do fluido”. Porém tratando-se de navio, logo é apresentado  um formato de volume submerso curvo, projetado de forma hidrodinâmica, diferente de  formas tridimensionais bem definidas, por exemplo um cubo, esfera e etc… Além deste fator o  estudo dos termos de arquitetura naval e estabilidade do navio, como LCG, LCF, TPC, LPP e  outros apresentam importância fundamental para a execução do cálculo de “Draft survey”. 

O laudo final apresentado pelo “Arqueador” ou “Draft Surveyor” é exigido em determinados  casos por autoridades, como Receita Federal para finalidades fiscais e também pelos  importadores e exportadores para maior controle de seus produtos movimentados nos navios,  isto demonstra a importância na boa execução deste trabalho. 

Compartilhe: