Investindo no Atendimento

Promover um bom atendimento hospitalar de qualidade ao paciente tem se tornado um grande desafio, desde a entrada deste até sua permanência seja uma consulta de rotina ou
um atendimento mas duradouro tem sido um grande desafio na Gestão Hospitalar.

Compartilhe:

Autora: Katia Rejane pinheiro Costa

Somática Educar

Curso Gestão de Operações e Serviços Hospitalares 

Promover um bom atendimento hospitalar de qualidade ao paciente tem se tornado um grande desafio, desde a entrada deste até sua permanência seja uma consulta de rotina ou
um atendimento mas duradouro tem sido um grande desafio na Gestão Hospitalar. É necessário esse paciente sentir sentir se bem acolhido e atendido para evitar problemas e reclamações futuras.


Não basta apenas criar e adotar métodos como uma estrutura adequada ao paciente e seu acompanhante ou usufruir dos benefícios que o sistema eletrônico disponibiliza onde é feita
a triagem de casos mas graves e esses mesmos são atendidos com prioridade e não somente apostar no agendamento on line pois ainda esse não tem atendido a grande demanda de filas de esperas para consultas e atendimentos com suas especialidades.


É necessário humanizar ainda mas o atendimento ao paciente, fazer a triagem correta, direcionar mais médicos e especialistas treinar periodicamente a equipe de trabalho e
também é essencial fazer a utilização e distribuição correta da tecnologia a fim de otimizar mas esse atendimento, pois além de oferecer conforto aos pacientes com profissionalismo e
empatia moderada o estabelecimento de saúde ainda poderá atuar no pós atendimento com pesquisas de satisfação e enquetes onde a partir desses dados colhidos poderá fazer as mudanças necessárias voltadas para o bom atendimento do Paciente e melhoria na Gestão Hospitalar como de grande qualidade.


Blog.vectras.com.br

Compartilhe:

Usina Termelétrica – Ciclo Combinado

Autor: Edmo dos Santos Oliveira
E-mail: edmooliveiraa@hotmail.com / edmoozone@hotmail.com
Curso: Operador de Usina Termelétrica de Ciclo Combinado
Instituição: Somatica Educar

Uma usina termelétrica operando em ciclo combinado pode ser definida como um conjunto de obras e equipamentos cuja finalidade é a geração de energia elétrica, através de um processo que combina a operação de uma turbina a gás, movida pela queima de gás natural ou óleo
diesel, diretamente acoplada a um gerador.


Os gases de escape da turbina a gás, devido à temperatura, promovem a transformação da água em vapor para o acionamento de uma turbina a vapor, nas mesmas condições descritas no processo de operação de uma termelétrica convencional. A potência média dessas centrais
vem a ser de 300 MW, muito inferior à de uma termelétrica convencional.


De um modo geral, o calor dos gases de exaustão produzidos na queima de combustível de turbinas a gás é aproveitado para gerar vapor em caldeiras.

Este vapor, por sua vez, movimenta turbinas a vapor. Temos, deste modo, dois ciclos térmicos: Brayton (ciclo da turbina a gás) e Rankine (ciclo da turbina a vapor). Daí a denominação “ciclo combinado”.


Teoricamente, pode haver a composição de ciclos térmicos em cascata (“tandem”) com outros ciclos térmicos, não se limitando aos ciclos já expostos.


A combinação de ciclos aumenta a eficiência térmica do sistema, quando comparada à eficiência de um ciclo simples (somente uma máquina térmica convertendo energia térmica em mecânica).


Em usinas de geração de energia elétrica, as máquinas térmicas que pertencem a cada um dos ciclos (turbinas a gás e a vapor) acionam geradores elétricos. Assim, a energia mecânica produzida é adicionalmente convertida em energia elétrica. Porém, há casos em que essa
energia mecânica é utilizada para outras finalidades que não a geração de energia elétrica; por exemplo, para propulsão de navios. Neste último caso, a energia mecânica é utilizada para acionar eixos dos propulsores (hélices) dos navios.

Para ter acesso ao Artigo Completo clique abaixo:

Compartilhe:

IMPORTÂNCIA DA QUANTIFICAÇÃO CORRETA DO LASTRO EM DRAFT SURVEY

Água de Lastro é a água recolhida no mar e armazenada em tanques dos navios, com o objetivo de dar estabilidade às embarcações quando elas estão navegando sem cargas.

Compartilhe:

Autor: Paulo César Lameu e Silva

Curso de Arqueação de navios – Draft Survey
Instituição: Somática Educar

DEFINIÇÃO:
Água de Lastro é a água recolhida no mar e armazenada em tanques dos navios, com o objetivo de dar estabilidade às embarcações quando elas estão navegando sem cargas.


Em alto-mar, um navio sem lastro pode ficar descontrolado, correndo até o risco de partir ao meio e afundar. A água de lastro compensa perda de peso de carga e de combustível, regulando a estabilidade e mantendo a segurança


Água de lastro é aquela que os cargueiros utilizam em seus tanques para que tenham mais estabilidade quando estão se deslocando vazios. Estas águas são coletadas em estuários e portos em várias partes do mundo e descarregadas em seu destino quando o navio vai ser carregado de mercadoria.


IMPORTÂNCIA:
Quando um navio está vazio e/ou movimentando carga, é necessário manter ou movimentar água de lastro nos tanques para estabilizar o navio.

Por isso é necessário conhecer esses pesos no momento da arqueação para que possamos definir com precisão o total da carga ser avaliada.


A quantidade de água de lastro pode ser obtida sondando, enchendo ou
transbordando(se permitido) os tanques de lastro.


O cálculo de peso de água de lastro é sem dúvida a principal fonte de erro em um draft survey e pode resultar em grandes e inaceitáveis imprecisões na quantidade de carga calculada, podendo ter relevantes impactos econômicos.

Para ter acesso ao Artigo Completo Clicar Abaixo

Compartilhe:

Ciclo Combinado

Turbinas a gás (ciclo Brayton) + turbina a vapor (ciclo Rankine);Maior aproveitamento da energia contida nos combustíveis

Compartilhe:

Autor: Weliton De Matos Lourenço
E-mail: weliton_mk@Hotmail.com
Curso Operador de Usina Termelétrica de Ciclo Combinado
Somática Educar

Turbinas a gás (ciclo Brayton) + turbina a vapor (ciclo Rankine);
• Maior aproveitamento da energia contida nos combustíveis;
• Aumento da eficiência térmica (conseqüência);
• Eficiência é maior que a de qualquer um dos dois ciclos que o compõe
• Ciclo combinado: 50 a 60% ciclo a vapor:  40% ciclo a gás: 35 a 37%)

Para ter acesso a publicação acessar abaixo

Compartilhe:

Centrais Elétricas de Ciclo Combinado

A termoelétrica de ciclo combinado é uma união de dois tipos
de geração de energia que tem como partida inicial a turbina a gás
e logo em seguida a turbina a vapor que reutiliza o ar quente que
seria desperdiçado fazendo assim criação de uma termo elétrica
que utiliza duas turbinas que queima somente um combustível
inicialmente, que utiliza gás natural.

Compartilhe:

Autor: jocicleison Sousa de Paula.
Email : cleisosousasousa@hotmail.com
Curso: Curso Operador Usina Termelétrica de Ciclo Combinado
Instituição: Somática Educar

Ciclo combinado a vantagem da utilização e beneficio que pode
ser tirado dessa tecnologia que vem crescendo cada dia mas no
País e no mundo. Uma usina termelétrica operando em ciclo
combinado pode ser definida como um conjunto de obras e
equipamentos cuja finalidade é a geração de energia elétrica.


A termoelétrica de ciclo combinado é uma união de dois tipos
de geração de energia que tem como partida inicial a turbina a gás
e logo em seguida a turbina a vapor que reutiliza o ar quente que
seria desperdiçado fazendo assim criação de uma termo elétrica
que utiliza duas turbinas que queima somente um combustível
inicialmente, que utiliza gás natural.


Tendo o ciclo combinado como meio mas econômico, ou seja,
menos custo mais beneficio que podem vir de varias formas com a
redução do combustível utilizado, sendo que para cada turbina a
gás uma turbina a vapor é acionada assim reduzindo custo com
combustível consequente reduzindo a emissão de CO2, e
contribuindo para um ar mas puro e ajudando a reduzir o
aquecimento GLOBAL, sendo assim, a termoelétrica de ciclo
combinado funciona como válvula de escape que pode ser utilizada
nos dias de crise hídrica, quando há escassez de água para
geração de energia hidráulica. Essa também é uma alternativa
muito utilizada nos lugares mais afastado geograficamente, ou seja,
em pequenas cidades onde a energia convencional não está
disponível.

Compartilhe:

ATRIBUIÇÃO DO AGENTE de AEROPORTO

O agente presta suporte e informações entre as aéreas de operação do aeroporto, áreas internas também da companhia, autoridade e outros órgãos: também executa as atividades relacionadas as etapas do voo (durante/pós) por isso os profissionais que fazem o gerenciamento do trafego aéreo são tão importantes em um aeroporto

Compartilhe:

Autor: Marcos Aurélio 

e-mail: marcos.aureliocpinto@gmail.com
Curso: Agente Aeroportuário

Somática Educar


O Agente de Aeroporto é o profissional que atua nas companhias aéreas nacionais ou internacionais, pode-se dizer que se trata do cartão de visitas da empresa, uma vez que é através dele o primeiro contato do cliente com a mesma. Para trabalhar como agente de aeroporto, você precisa ter no mínimo 18 anos de idade, ter Ensino Médio completo e fluência em outro idioma.


Além das qualificações básicas, é importante que você realize e desenvolva sua habilidade de comunicação que será utilizada em todo tempo de seu turno de trabalho. Um profissional formado como atendente de check in poderá se especializar em atendimento ao público e trabalhar em diversas áreas no atendimento desde agente em aeroportos a agências de viagens e hotéis. A versatilidade é tão grande quanto as oportunidades de crescimento dentro da empresa. Não importa qual seja sua real vocação, dentro da aviação você poderá colocar em prática, com ótimos benefícios e uma ótima chance de crescimento isso tudo só vai depender de você mesmo.


 O agente de aeroporto inicia seu turno informando- se sobre o que está acontecendo no aeroporto e na empresa aérea, ele também executa diversas atividades de contingencias, efetuando recomendações de clientes e provendo o cumprimento das legislações vigentes. A classe tem deveres e direitos dentro da empresa para qual prestam serviços, essas atribuições elas variam sempre por empresa, cargo, nível hierárquico ou até especificidade da função a ser exercida.


 
O agente presta suporte e informações entre as aéreas de operação do aeroporto, áreas internas também da companhia, autoridade e outros órgãos: também executa as atividades relacionadas as etapas do voo (durante/pós) por isso os profissionais que fazem o gerenciamento do trafego aéreo são tão importantes em um aeroporto. Existem outras atribuições na qual são responsáveis como permitir pousos e decolagem, além de ajudar os pilotos durante a aproximação, informando condições meteorológicas, dentre diversos outros tipos de assistência. Geralmente as empresas de aviação oferecem ótimos salários e benefícios concorrentes dentro do mercado de trabalho, e isso desde os cargos que cuidam do procedimento terrestre de sua viagem. Tal papel é exercido pelo agente de aeroporto que lhe auxilia e oferece suporte nos serviços de check-in, informações sobre embarque e desembarque e outros serviços. Além das qualificações básicas, é importante que você realize e desenvolva sua habilidade de comunicação que será utilizada em todo tempo de seu turno de trabalho

Compartilhe:

ÁGUA DE LASTRO -CONCEITO DE LASTRO E SUA IMPORTÂNCIA PARA NAVEGAÇÃO

Água de lastro é o nome pelo qual ficou conhecida a água do mar ou do rio captada pelo navio para garantir a segurança operacional do navio e sua estabilidade.

Compartilhe:

Autora: ANA PAULA CERQUINHO BEZERRA
Contato: pcerquin@gmail.com
Curso : DRAFT SURVEYOR

Água de lastro é o nome pelo qual ficou conhecida a água do mar ou do rio captada pelo navio para
garantir a segurança operacional do navio e sua estabilidade. (CARMO, 2009)


No Brasil, a água de lastro é regida pela Norma da Autoridade Marítima (NORMAM 20), onde diz que a água de lastro é a água com suas partículas suspensas levadas a bordo de um navio nos seus tanques de
lastro, para o controle do trim, banda, calado, estabilidade ou tensões do navio. (Brasil, 2009)


A água de lastro é muito importante para a navegação, pois ela é necessária para manter a segurança, aumentar o calado e ajudar na propulsão e manobras, compensar a perda de peso por consumo de
combustível e de água, dando estabilidade às embarcações quando elas estão navegando com ou sem cargas. (SOUZA E SILVA, 2004)


Os tanques de lastro são compartimentos existentes a bordo, cuja única finalidade é o armazenamento e transporte de água de lastro e recebem a denominação de tanques de lastro segregado, de acordo
com a IMO.


A água de lastro é coletada em portos e estuários de forma inversamente proporcional à quantidade de carga, ou seja, quanto menos carga a bordo mais água de lastro. Assim, ao ser descarregado, o navio enche seus porões com água do litoral onde se encontra e ao serem estocadas novas mercadorias esta água é despejada. (ARAGUAIA, 2009)


Quando chegam a seu destino, muitas vezes em outro continente ou oceanos, esvaziam esses tanques,
fazendo o deslastro (nome dado ao processo da descarga da água de lastro).

O problema é que, nessa água descarregada estão presentes muitas espécies que não fazem parte do ecossistema local de
descarga.


Essas espécies, chamadas de exóticas, podem não ter predadores naturais nesse local e crescem de maneira descontrolada, interferindo na cadeia alimentar local, e destruindo as espécies nativas.

Para ter acesso ao artigo completo clique abaixo

Compartilhe:

O SER HUMANO E O USO SUSTENTÁVEL E EFICIENTE DA ENERGIA

Grandes ganhos em melhorias de eficiência energética têm sido alcançados em anos recentes, e muito mais ganhos podem ser obtidos em países industrializados com mudanças de políticas que incentivem o desenvolvimento e a implementação de tecnologias já existentes e futuras.

Compartilhe:

Autor: RENATO FERRAZ AKAOUI

e-mail: rakaoui@gmail.com

Curso ENGENHARIA E GESTÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS

A prosperidade humana sempre esteve intimamente ligada à nossa capacidade de capturar, coletar e aproveitar energia. O controle do fogo e a domesticação de plantas e animais foram dois dos fatores essenciais que permitiram que nossos ancestrais fizessem a transição de uma existência rude e nômade para sociedades estáveis e com raízes que pudessem gerar a riqueza coletiva necessária para formar civilizações.

Durante milênios, a energia em forma de biomassa e biomassa fossilizada foi utilizada para cozinhar e aquecer, além da criação de materiais que iam do tijolo ao bronze. Apesar desses desenvolvimentos, na verdade a riqueza relativa em todas as civilizações foi fundamentalmente definida pelo acesso e controle da energia, conforme medido pelo número de animais e humanos que serviam às ordens de um indivíduo específico.

A Revolução Industrial e tudo o que se seguiu lançaram uma parcela cada vez maior da humanidade para uma era dramaticamente diferente e mágica. Vamos ao mercado local puxados por centenas de cavalos e podemos voar ao redor do mundo com a força de centenas de milhares de cavalos. Nossas casas são aquecidas no inverno, frescas no verão e iluminadas à noite.

O uso amplamente disseminado de energia é a razão fundamental para centenas de milhares de humanos gozarem um alto padrão de vida. O que tornou isso possível foi nossa habilidade de usar a energia com cada vez mais destreza. A ciência e a tecnologia (C&T) nos forneceram os meios para obter e explorar fontes de energia, principalmente combustíveis fósseis, para que o consumo de energia do mundo atual seja equivalente a cerca de mais de dezessete bilhões de cavalos trabalhando para o mundo 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Visto por outro ângulo, a quantidade de energia necessária para manter um ser humano vivo e sustentado varia entre 2 000 e 3000 quilocalorias por dia. Em contraste, o consumo médio de energia por pessoa nos Estados Unidos é 16 de aproximadamente 350 x 109 joules por ano, ou 230 000 quilocalorias por dia. O americano médio, portanto, consome uma energia equivalente às necessidades biológicas de 100 pessoas, enquanto o resto dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) usa energia equivalente às necessidades de aproximadamente 50 pessoas. Em comparação, a China e a Índia atualmente consomem cerca de 9-30 vezes menos energia por pessoa do que os Estados Unidos. O consumo mundial de energia praticamente dobrou entre 1971 e 2004, e espera-se que cresça mais 50% até 2030, à medida que os países em desenvolvimento migram – num cenário de negócios como de costume – para uma prosperidade econômica profundamente enraizada no uso crescente de energia.

O caminho que o mundo está tomando atualmente não é sustentável: há custos associados ao uso intensivo de energia. O uso atual e a grande dependência de combustíveis fósseis estão levando à degradação dos meios ambientes locais, regionais e globais. Assegurar o acesso a recursos vitais de energia, principalmente de petróleo e gás natural, tornou-se um fator definitivo nos alinhamentos políticos e estratégias. O acesso iníquo à energia, principalmente das pessoas em áreas rurais dos países em desenvolvimento, e a consequente exaustão das fontes baratas de energia terão profundos impactos sobre a segurança internacional e sobre a prosperidade econômica.

Apesar de o cenário atual de energia parecer sombrio, acreditamos que há soluções sustentáveis para o problema energético. Uma combinação de políticas fiscais e regulatórias locais, nacionais e internacionais pode acelerar consideravelmente a disseminação das eficiências energéticas existentes, que permanecem como a parte mais prontamente implementável da solução.

Grandes ganhos em melhorias de eficiência energética têm sido alcançados em anos recentes, e muito mais ganhos podem ser obtidos em países industrializados com mudanças de políticas que incentivem o desenvolvimento e a implementação de tecnologias já existentes e futuras.

A transição oportuna para o uso sustentável de energia também exigirá políticas para gerar ações que otimizem as consequências macroeconômicas do uso da energia de curto e de longo prazo. A descarga de efluentes brutos em um rio sempre será mais barata, em nível microeconômico, do que o tratamento dos resíduos, especialmente para os poluidores à montante.

As consequências previstas da mudança climática incluem uma redução maciça na água fornecida mundialmente pela eliminação paulatina das geleiras; pela devastação cada vez maior das enchentes, secas, incêndios, tufões e furacões; deslocamento permanente de dezenas a centenas de milhares de pessoas devido à elevação do nível do mar; alterações na distribuição espacial de alguns vetores de doenças infecciosas, especialmente onde esses vetores ou patógenos dependem da temperatura e da umidade; e perda significativa da biodiversidade.

De forma semelhante, a poluição atmosférica relativa à energia impõe impactos adversos consideráveis à saúde de um grande número de pessoas em todo o mundo – criando riscos e custos que normalmente não são capturados nas escolhas do mercado de energia nem nas decisões de políticas. Assim, torna-se crítico considerar os custos adicionais que serão necessários para mitigar as potenciais consequências sociais e ambientais adversas ao tentar avaliar a verdadeira opção de baixo custo em qualquer análise macroeconômica de longo prazo sobre o uso e a produção de energia.

Avanços significativos na conversão de energia solar em eletricidade são necessários, enquanto o desenvolvimento de tecnologias econômicas e de grande escala de armazenagem de energia e de transmissão de longa distância permitiriam que recursos transitórios como eólico, fotovoltaico solar e geração térmica se tornassem parte da base de geração de energia. Também, métodos eficientes de conversão de biomassa celulósica em combustível de transporte moderno podem ser desenvolvidos e reduzir consideravelmente o rastro de carbono desse combustível cada vez mais precioso. Este relatório do Inter Academy Council (IAC) é o resultado de uma série de oficinas e estudos comissionados do IAC e patrocinados pela academia, que foram usados para complementar os muitos estudos anteriores sobre questões energéticas.

Dois exemplos de conjuntos de políticas relativamente modestas, mas de grande efeito que provocaram mudanças importantes nos sistemas econômicos, são o exemplo da Califórnia da estabilização do consumo de eletricidade per capita nos últimos 30 anos, e o exemplo do Brasil com o nascimento da indústria dos biocombustíveis, que saltou bem adiante de países economicamente mais desenvolvidos.

O apoio agressivo da ciência e tecnologia de energia, associado a incentivos que aceleram o desenvolvimento e implementação simultâneos de soluções inovadoras podem transformar todo o cenário de demanda e oferta de energia. Acredito que isso é possível, tanto técnica quanto economicamente, para elevar as condições de vida de quase toda a humanidade para o nível agora desfrutado por uma grande classe média nos países industrializados — ao mesmo tempo em que reduz substancialmente os riscos de segurança ambiental e de energia associados aos padrões atuais de produção e de uso de energia.

Atender às necessidades de energia básica das pessoas mais pobres deste planeta é um imperativo moral e social que pode e deve ser buscado juntamente com objetivos de sustentabilidade.

Deve-se fazer esforços conjuntos para aumentar a eficiência energética e reduzir a intensidade energética da economia mundial.

Tecnologias para captura e sequestro de carbono de combustíveis fósseis, particularmente do carvão mineral, podem desempenhar um papel importante no gerenciamento custo-efetivo das emissões globais de dióxido de carbono.

A competição pelas reservas de petróleo e gás natural pode potencialmente se tornar uma fonte de crescente tensão geopolítica e vulnerabilidade econômica para muitas nações nas próximas décadas.

Como um recurso de baixo conteúdo de carbono, a energia nuclear pode continuar a oferecer uma contribuição significativa ao portfólio mundial de energia no futuro, mas apenas se questões importantes relativas a custo de capital, segurança e proliferação de armas forem tratadas.

A energia renovável, em suas muitas formas, oferece imensas oportunidades para progresso tecnológico e inovação Durante os próximos 30 a 60 anos, deve-se dirigir esforços sustentados para que essas oportunidades se tornem realidade, como parte de uma estratégia abrangente para apoiar uma diversidade de opções de recursos durante o próximo século.

Os biocombustíveis representam uma grande promessa para enfrentar, simultaneamente, as questões de mudanças climáticas e de segurança energética.

O desenvolvimento de tecnologias custo-efetivas de armazenagem de energia, novos vetores energéticos e infraestrutura de transmissão avançada podem substancialmente reduzir os custos e expandir a contribuição de uma variedade de opções de fornecimento de energia.

A comunidade de C&T – juntamente com o público em geral – tem um papel fundamental a desempenhar promovendo soluções de energia sustentável e deve se engajar efetivamente.

FONTE : Um futuro com energia sustentável: iluminando o caminho – FAPE

Compartilhe:

PARQUE EÓLICO, COMISSIONAMENTO DE AEROGERADORES, E SUBESTAÇÃO DE UM PARQUE EÓLICO

O Comissionamento de aerogeradores é um o processo de assegurar que os sistemas e componentes de uma edificação ou unidade industrial estejam projetados, instalados, testados, operados e mantidos de acordo com as necessidades e requisitos operacionais do proprietário.

Compartilhe:

Autor:  Cosme Damião Ribas dos Santos

e-mail: cosmeribas@gmail.com

Curso Operador de Parque Eólico

RESUMO 

A energia eólica pode ser considerada como uma das formas em que se manifesta a energia proveniente do Sol, isto porque os ventos são causados pelo aquecimento diferenciado da atmosfera. Essa não uniformidade no aquecimento da atmosfera deve ser creditada, entre outros fatores, à orientação dos raios solares e aos movimentos da Terra. As regiões tropicais, que recebem os raios solares quase que perpendicularmente, são mais aquecidas do que as regiões polares. Consequentemente, o ar quente que se encontra nas baixas altitudes das regiões tropicais tende a subir, sendo substituído por uma massa de ar mais frio que se desloca das regiões polares. O deslocamento de massas de ar determina a formação dos ventos.

A indústria eólica tem investido no desenvolvimento tecnológico da adaptação das turbinas eólicas convencionais para uso na terra ou no mar.

Além do desenvolvimento tecnológico, os projetos onshore, e offshore necessitam de estratégias especiais quanto ao tipo de transporte das máquinas, sua instalação e operação. 

Todo o projeto deve ser coordenado de forma a utilizarem os períodos onde as condições terrestres, e marítimas propiciem um deslocamento e uma instalação com segurança do equipamento ao seu destinatário. O Comissionamento de aerogeradores é um o processo de assegurar que os sistemas e componentes de uma edificação ou unidade industrial estejam projetados, instalados, testados, operados e mantidos de acordo com as necessidades e requisitos operacionais do proprietário. A subestação de um parque eólico também tem a sua importância de seguir manuais de Instalação elétrica de alta potencia, as quais contêm equipamentos para transmissão, distribuição, proteção, controle, supervisão e medição de energia elétrica de médias e altas tensões que requer atenções redobradas antes, durante, e depois da sua montagem.

 Palavras-chave: Energia eólica, comissionamento de aerogeradores, e Subestação de um Parque Eólico.

Para ter acesso ao Artigo Completo Clique Abaixo

Compartilhe:

Novidades Somática Educar

Estamos oferecendo diversas pós graduações extensiva as diversas regiões no Brasil e Exterior .

Compartilhe:

Pessoal , estamos oferecendo diversas pós graduações extensiva as diversas regiões no Brasil e Exterior .

Interessados acessar nosso site: https://www.somaticaeducarfaculdade.com.br/

e

Demais Pós e MBAs

Interessados aqui de Cruz alta e região agendar uma visita ao nosso pólo aqui em Cruz Alta pelo whatsapp 55 999876524

Também logo estaremos com Pós e Graduações no Pólo Somática Educar certificados pela Cruzeiro do Sul e UNISA

#posgraduacaoead#posgraduacao#posgraduacaoonline#somaticaeducar#somaticaeducarcursos

Compartilhe: