Arqueação de Navios no Comércio Exterior

O comércio exterior é capaz de conectar os países e aprimorar as negociações comerciais, além de que promove o desenvolvimento econômico das nações, dado que as empresas, em busca de fortalecer o fluxo de suas mercadorias, conseguem fornecer bens e serviços direcionados ao suprimento das lacunas resultantes das deficiências culturais nacionais.

Compartilhe:

Autora do Artigo: Rafaela Lopes de Azevedo


e-mail: raffa-azevedo@hotmail.com

Somática Educar

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO


Conforme Diniz, Gurski e Sandrino (2013), a realização de troca de mercadorias é um ato antigo que remonta aos povos do Oriente Médio. No entanto, Mesquita (2013) afirma que, os fluxos comerciais entre as diversas regiões do mundo foram impulsinados pelo início da globalização do comércio, mais precisamente no início do século XVI, sobretudo, em razão das navegações ibéricas.


Em se tratanto do Brasil, durante muito tempo, o país se limitava a trocas comerciais resumidas ao envio de matérias primas à metrópole e à compra de mercadorias provenientes da mesma, estando à margem do comércio internacional. As trocas internacionais só começaram a ocorrer com a vinda da coroa portuguesa ao Brasil, no início do século XIX, impactando em toda a relação com o comércio internacional e retardando o desenvolvimento nacional, visto que o comércio exterior possui grande importância na manutenção e no desenvolvimento econômico. (DINIZ, GURSKI e SANDRINO, 2013)


Ainda segundo os autores, o comércio exterior brasileiro foi implementando oficialmente com a proclamação da república e percorreu ciclos de sucesso com diversos produtos, como a cana de açúcar e o café, por exemplo; e até os tempos atuais, o Brasil ainda demonstra possuir grande submissão à comercialização de produtos do setor primário, as commodities, resultado do precário investimento em tecnologia e capacitação da mão de obra disponível. Por outro lado, Bianchi e Gualda (2017), destacam que o Brasil já não se encontra tão dependente da exportação de tais produtos, uma vez que tem se beneficiado da exportação de bens industrializados e processados.

O comércio exterior é capaz de conectar os países e aprimorar as negociações comerciais, além de que promove o desenvolvimento econômico das nações, dado que as empresas, em busca de fortalecer o fluxo de suas mercadorias, conseguem fornecer bens e serviços direcionados ao suprimento das lacunas resultantes das deficiências culturais nacionais.
Draft Survey


De forma geral, o comércio exterior possui grande importância para o desenvolvimento nacional com a exploração pelas empresas das vantagens culturais de cada país, exportando o que se produz com eficiência e importando o que é produzido com deficiência. E é por meio dos dados obtidos com os indicadores da balança comercial que é possível verificar os resultados do saldo comercial, seja positivo (superávit), seja negativo (déficit) e comparar as movimentações entre os países. Deste modo, as figuras abaixo representam as informações pertinentes ao setor ao longo dos anos vivenciados pelo Brasil:


Figura 01 – Evolução da balança comercial

Tenha acesso ao Artigo Completo Abaixo

Compartilhe:

A geração da energia eólica e o meio ambiente

Energia eólica é uma das fontes renováveis que apresenta maiores vantagens na geração de energia elétrica.

Compartilhe:

Autor do Artigo: Kennedy Noberto De Lima
Email: kennedynoberto@gmail.com

RESUMO


Atualmente vários países vêm investindo na complementação e transformação de seus parques energéticos com a introdução de fontes alternativas de energia, sendo que as questões ambientais alavancaram em muito estes investimentos, principalmente devido aos impactos causados pelas formas tradicionais de geração de energia. A utilização de soluções energéticas que agridem em menor escala o meio ambiente tem destacado a energia eólica como uma fonte alternativa de grande importância na elaboração de novos cenários energéticos ecologicamente melhores. Porém, como toda tecnologia energética, o aproveitamento dos ventos para geração de energia elétrica apresenta algumas características ambientais desfavoráveis. Neste trabalho procura-se descrever quais são estas características e algumas medidas que podem ser tomadas no sentido de diminuir os impactos ambientais na instalação e operação de parques eólicos. Baseado na bibliografia analisada, conclui-se que os investimentos em a energia eólica devem ser encorajados e algumas destas características podem ser significativamente minimizadas e até mesmo eliminadas com planejamento adequado e inovações tecnológicas.


INTRODUÇÃO


Com a preocupação em torno das questões ambientais, iniciadas com grande pressão devido aos acidentes nucleares nos reatores de Three Mile Island em 1979, nos Estados Unidos e, mais tarde, em 1986 na cidade de Chernobyl, na ex-União Soviética, a busca de novas soluções para o fornecimento de energia elétrica impulsionam a comunidade mundial a abrir um grande espaço para a penetração das energias renováveis, em especial a energia eólica. Nos últimos anos, países como Alemanha, Dinamarca, Estados Unidos, entre outros, buscando atender
uma melhor qualidade no suprimento energético, engajaram-se no desenvolvimento de tecnologia e expansão do parque industrial, dando incentivos e subsídios ao setor, estimulando o crescimento de mercado e o desenvolvimento tecnológico, alavancando recursos a ponto de fixar a energia eólica no mercado mundial com tecnologia, qualidade e confiabilidade, fazendo desta uma opção imprescindível para o fornecimento de energia limpa em grandes potências. O aproveitamento dos ventos para geração de energia elétrica apresenta, como toda tecnologia energética, algumas características ambientais desfavoráveis como, por exemplo: impacto visual, ruído, interferência eletromagnética, danos à fauna. Porém, algumas destas características podem ser significativamente minimizadas e até mesmo eliminadas com planejamento adequado e inovações tecnológicas .A energia eólica por sua vez, não utiliza a água como elemento motriz, nem como fluido refrigerante e não produz resíduo radioativo ou gasoso. Pode-se ainda utilizar a área do parque eólico como pastagens e outras atividades agrícolas.

  1. BENEFÍCIOS AMBIENTAIS

Leia o Artigo Completo

Compartilhe:

Case – Portfólio Consultoria em Moda, Imagem e Estilo

Estão presentes neste portfólio todas as informações sobre a cliente, análise do tipo físico e estilo, coloração, acessório, dress code, cabelo e maquiagem. Ao final fora sugerido um exemplo de Lookbook

Compartilhe:

Consultora: Taisa Tavares dos Santos

Case Cliente: Maria Souza

Curso Personal Stylist e Consultoria em Moda, Imagem e Estilo

e-mail: taisa_ts@hotmail.com

O presente Case descreve todas as Etapas de uma Consultoria de Moda, Imagem e Estilo.

Estão presentes neste portfólio todas as informações sobre a cliente, análise do tipo físico e estilo, coloração, acessório, dress code, cabelo e maquiagem. Ao final fora sugerido um exemplo de Lookbook

Saiba Aqui Sobre a Consultoria em Moda, Imagem e Estilo
Curso Personal Stylist e Consultoria em Moda, Imagem e Estilo

Tenha Acesso ao Case Completo Abaixo

Compartilhe:

LOCOTROL

Esse sistema tem como objetivo distribuir de maneira eficiente ao longo da composição os esforços de tração e de frenagem, reduzindo assim o esforço nos engates dos vagões mais perto da frente da composição, permitindo a operação com trens maiores e mais pesados.

Compartilhe:

Autor: Anderson Luis Costa

Email: anderluiscosta@gmail.com

Curso: Operador de Pátio de Ferrovias

                Desenvolvido pela General Electric (GE), é uma modalidade de tração múltipla que permite o controle remoto de locomotivas. Uma locomotiva líder envia sinal para as demais através de comunicação via rádio ou encanamento geral, onde é possível acelerar e frear as locomotivas sem maquinistas.

                Esse sistema tem como objetivo distribuir de maneira eficiente ao longo da composição os esforços de tração e de frenagem, reduzindo assim o esforço nos engates dos vagões mais perto da frente da composição, permitindo a operação com trens maiores e mais pesados.

                Em um trem convencional os esforços de tração e frenagem estão concentrados em locomotivas posicionadas na frente do trem. Já em um trem com tração múltipla, os esforços de tração e frenagem dinâmica são distribuídos ao longo da composição.

Curso Profissionalizante Operador de Pátio de Ferrovias

                Suas principais vantagens são:

                               – Menor esforço no engate para tração;

                               – Menor esforço em curvas;

                               – Eficiência na aplicação de freios em toda composição;

                               – Redução no desgaste de rodas e trilhos;

                               – Redução de gasto com combustível;

                               – Eliminação do Helper.

                Os Locotrol possuem um sistema de segurança, onde quando a locomotiva fica fora de alcance do sinal de rádio, a comunicação passa a ser feita via encanamento geral, neste caso a locomotiva manterá o último comando recebido (aceleração, frenagem ou vazio). Caso o encanamento geral tenha sua pressão reduzida ocorrerá aplicação automática de freios e o trem para.

                A Locomotiva (Líder) verifica as demais locomotivas (Remotas) a cada 20 segundos.

Referências:

EVARISTO, Lucas. Locotrol (Tração Distribuída). Brasil Ferroviario, 2020. Disponível em: <https://www.brasilferroviario.com.br/locotrol-tracao-distribuida/>. Acesso em: 18 de fev. de 2020.

ANDRADE, Christian. VOCÊ CONHECE O SISTEMA LOCOTROL?. MRS, 2020. Disponível em: < https://www.mrs.com.br/post-newsletter/voce-conhece-o-sistema-locotrol/ />. Acesso em: 18 de fev. de 2020.

Rosa, Rodrigo de Alvarenga. Operação ferroviária: planejamento, dimensionamento e acompanhamento. 1ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2016.

Compartilhe:

A IMPORTÂNCIA DO CARRO ULTRASSOM NA MANUTENÇÃO DE UMA VIA PERMANENTE

Definir a estratégia adequada de manutenção é tarefa essencial para a ferrovia que almeja longevidade em seus negócios e busca alcançar objetivos de longo prazo

Compartilhe:

Curso de Capacitação em Manutenção de Vias Permanentes – Somática Educar

Autora:Daniela Calavort Bastos

danielacalavort@hotmail.com

Vitória, ES – 2020.

RESUMO

As manutenções vêm sendo consideradas atividades estratégicas nas empresas por atuarem diretamente sobre o desempenho da produção, principalmente no aumento da confiabilidade e da segurança na empresa. Elas estão ligadas a redução de gastos e consequentemente, a maximização dos lucros. Definir a estratégia adequada de manutenção é tarefa essencial para a ferrovia que almeja longevidade em seus negócios e busca alcançar objetivos de longo prazo. Existem duas possíveis reações à qualidade insuficiente da via: baixar a velocidade de serviço ou a realização de operações de manutenção. Embora a primeira seja mais barata no curto prazo, eventualmente a qualidade diminuiria sob o mínimo permitido pela lei e pelas restrições de segurança. A qualidade do serviço também pode sofrer deterioração. Além disso, baixar a velocidade reduz a capacidade máxima da faixa. Com isso, um plano de manutenção adequado visa encontrar um trade-off entre custos de manutenção e perda de capacidade de serviço (Peralta et al., 2018).

INTRODUÇÃO

A partir de 1996 iniciou-se o processo de concessão das ferrovias brasileiras. Entre os anos de 1996 e 2017, as ferrovias reduziram mais de 86% no índice de acidentes, mantendo padrões internacionais de segurança (ANTT, 2019). Em 2017, as ferrovias de cargas brasileiras ampliaram o seu volume transportado atingindo um recorde de 538 milhões de toneladas úteis. Em função do aumento na utilização destas ferrovias, as manutenções frequentes têm se tornado uma necessidade e motivo de preocupação para as empresas que possuem as concessões das mesmas. Como as ferrovias no Brasil são muito antigas, caso as manutenções não ocorram de forma frequente elas podem se tornar inoperantes (ANTF, 2019). Uma ferrovia é um sistema autoguiado composto basicamente por via permanente, material rodante, sinalização/comunicação e operação. A via permanente é o conjunto das instalações e equipamentos que compõem as partes da ferrovia onde circulam os trens. Ela é composta pela infraestrutura e superestrutura. A infraestrutura é o conjunto de obras destinadas a formar a plataforma da estrada e suportar a superestrutura. Já a superestrutura é a parte da via permanente que recebe os impactos diretos da composição ferroviária. Ela é composta pelos trilhos, dormentes, lastros, sublastro e Aparelhos de Mudança de Via (ROSA; RIBEIRO, 2016). Os elementos da superestrutura estão sujeitos a diversas condições, como intempéries e desgastes das mais diferentes formas. O trilho é um dos elementos da superestrutura que mais sofre desgastes, principalmente pelo contato roda/trilho, no qual todo peso da composição ferroviária é transferido para os trilhos por meio das rodas. Junto a estes desgastes, cresce a possibilidade de ocorrência de trincas, fissuras ou quebras de trilho, tornando a necessidade de manutenções uma realidade. Uma maneira de prevenir e evitar avarias em trilhos é utilizar o carro ultrassom. Este equipamento fornece dados que ao serem interpretados indicam, antes de acontecer qualquer incidente, a necessidade de se interromper totalmente a via ou apenas reduzir a velocidade de operação da mesma até a troca de um trilho. Em resumo, o equipamento auxilia a equipe de manutenção a identificar pontos críticos para realização de manutenções relacionadas à integridade dos trilhos.

Leia o Trabalho Completo Abaixo!

Compartilhe:

A Importância da Arqueação de Navios (Draft Survey) para o Comércio Internacional e o Fisco: exemplos práticos.

O método de quantificação de cargas a granel em navios comerciais é o mais eficiente, rápido e preciso possível. Isto ocorre porque, em apertada síntese, a quantificação de toda a carga da embarcação é feita somente uma vez, o que faz com que, adotando-se as técnicas preconizadas internacionalmente para o procedimento, se pode obter um resultado com margens muito menores de erro.

Compartilhe:

Autor: Ricardo Bristot Borges

E-mail: ricardobb63@gmail.com

Curso Arqueação de Navios da Somática Educar

O método de quantificação de cargas a granel em navios comerciais é o mais eficiente, rápido e preciso possível. Isto ocorre porque, em apertada síntese, a quantificação de toda a carga da embarcação é feita somente uma vez, o que faz com que, adotando-se as técnicas preconizadas internacionalmente para o procedimento, se pode obter um resultado com margens muito menores de erro.

Esta vantagem da quantificação realizada pelo método de “draft survey”, seja para granéis sólidos como para granéis líquidos ou gasosos, se faz presente quando comparada com a quantificação automatizada de carga feita por balanças em terra (nos terminais de carga), ou por fluxômetros (medidores de granéis líquidos por passagem em tubulações). A razão é muito simples: cada medição ou quantificação tem uma margem de erro. Quando se mede a carga de um navio, as possibilidades de erro são mais facilmente identificáveis, por estarmos tratando de grandes quantidades. A quantificação parcelada, aquela feita por balanças em terra ou fluxômetros, por exemplo, têm a desvantagem de poder quantificar (pesar) somente uma pequena quantidade a cada vez, digamos 15 toneladas. Se esta balança estiver com um erro de 5%, teremos 750 Kg correspondentes ao erro de uma pesagem. Em um navio com 60.000 toneladas de granel sólido, por exemplo soja em grãos, serão necessárias 4.000 medições para se quantificar toda a carga deste navio, e o erro contínuo de 5% representará o equivalente a 3.000 toneladas! Já a margem de erro aceitável no método de draft survey é de apenas 30-40 toneladas em um navio com a mesma capacidade acima, ou seja, 0,000005%!!!

No caso dos fluxômetros de passagem, torna-se ainda mais fácil de haver erros maiores, pois estaremos tratando de granéis líquidos. Estes líquidos são das mais diversas naturezas, com características químicas e físicas muito distintas entre si. Isto requer, em tese, que a cada tipo de líquido a ser medido o aparelho medidor deva passar por calibração por empresa certificadora credenciada pelo INMETRO. Isto é necessário porque cada líquido tem uma densidade característica a uma determinada temperatura, em graus Celsius (oC), diferentes viscosidades, etc. Ou seja, em termos práticos, por melhor que seja o equipamento, ele terá que ser calibrado e certificado toda vez que mudar de produto, o que inviabiliza esta prática. Como exemplos de granéis líquidos comumente movimentados no porto de Paranaguá, por exemplo, temos o etanol, metanol, diferentes tipos de óleo diesel, fuel oil, gasolinas, óleos vegetais, melaço, soda cáustica, ácido sulfúrico, enfim toda uma gama de produtos com características muito distintas. 

Ainda no caso de granéis líquidos, a quantificação de mercadorias importadas ou a exportar pode ser quantificada pelo método Draft Survey com muito menor erro e muito maior velocidade, e também podem ser quantificados mais de um produto na mesma operação. É normal termos navios com dois tipos de óleo diesel e dois tipos de gasolina, por exemplo. A medição é feita em cada tanque de carga ao mesmo tempo, e depois se realizam os cálculos de quantificação para se obter o volume dos tanques medidos, e a partir daí se chega no peso total, por produto, em quilogramas ou toneladas. Tudo isso em até duas horas de serviço a bordo. Caso fossem usados os fluxômetros para quantificar quatro produtos distintos deste exemplo, seriam necessárias quatro calibrações dos equipamentos por técnico credenciado pelo INMETRO, ou quatro fluxômetros atuando em paralelo! Qual o custo disso, em termos financeiros e de TEMPO? Note-se que estes terminais precisam despachar estes produtos o mais rapidamente possível para poder abrir espaço para novos navios.

Possibilidades de Fraude na Automatização

Leia Mais Sobre o Artigo Clicando Aqui!

Compartilhe: